Os principais índices de ações seguem em baixa em Nova York, em meio à alta dos preços do petróleo, dólar mais fraco e juros dos títulos do Tesouro dos EUA (Treasuries) em alta. As ações do setor financeiro voltaram a liderar as perdas em meio a mais notícias negativas, entre elas, o comentário do ex-economista do Fundo Monetário Internacional (FMI) Kenneth Rogoff de que um grande banco dos EUA provavelmente vai falir nos próximos meses.

Também pesa sobre o mercado as preocupações sobre a economia, que foram alimentadas pelo fraco indicador de novas construções de julho, alta acima do esperado da inflação ao produtor em julho e queda nas vendas e nos lucros de várias empresas do setor de varejo. Os investidores temem um retorno da estagflação - crescimento abaixo da tendência em um ambiente de inflação elevada - nos EUA pela primeira vez em décadas.

As ações financeiras lideram as perdas entre as componentes do índice Dow Jones: AIG cai 5,93%, American Express recua 3,45%, Bank of America cede 4,13% e JPMorgan Chase registra baixa de 3,13%. As preocupações sobre as hipotecas de alto risco (subprime) e a crise de crédito em andamento reacenderam no final de semana depois de uma matéria dizendo que o governo federal poderá ter de socorrer as agências hipotecárias Fannie Mae e Freddie Mac.

"A questão permanece 'em que ponto estamos no jogo na crise de crédito?'", disse Paul Nolte, diretor de investimentos da Hinsdale Associates. Um dia depois de informes de que o Lehman Brothers pode sofrer mais perdas, o Wall Street Journal informou que o banco se aproximou de um número de compradores em potencial para vender sua unidade de gerenciamento de ativos. As ações do Lehman recuam 13,31% nesta tarde.

Às 16h40 (de Brasília), o índice Dow Jones caía 1,24%, o Nasdaq recuava 1,54% e o S&P-500 registrava uma queda de 1,08%. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.