A Bolsa de Nova York passou a tarde alternando altas e baixas e, nesta última hora de pregão, oscila perto dos níveis de fechamento de ontem, com a fraqueza das ações de companhias financeiras e de energia pesando sobre um mercado que ainda digere os mais recentes movimentos do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) para tirar a economia da recessão, segundo operadores e analistas. Ontem foi todo da ação (do Fed).

Hoje, estamos simplesmente digerindo o que o Fed fez ontem", disse Peter Boockvar, estrategista e ações da Miller Tabak.

Sobre as ações do setor de energia pesa a acentuada fraqueza dos contratos futuros de petróleo, que fecharam em baixa apesar do corte na produção confirmado pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), os contratos de petróleo com entrega em janeiro caíram US$ 3,54, ou 8,12%, e fecharam a US$ 40,06 por barril.

Entre as companhias petrolíferas, as ações da Chevron recuam 2,25%, enquanto as da ExxonMobil caem 2,07%. As ações da DuPont oscilam em baixa de 1,74% e as da United Technologies recuam 1,63%.

No setor financeiro, American Express cai 0,80%, Bank of America perde 0,99% e JPMorgan recua 1,11%. Por outro lado, as ações do Morgan Stanley sobem 5,33%, apesar de o banco ter anunciado um prejuízo acima do esperado no seu quarto trimestre fiscal.

Às 18h40 (de Brasília), o índice Dow Jones caía 50 pontos, ou 0,57%, o Nasdaq caía 6 pontos, ou 0,40%, e o S&P-500 registrava uma queda de 4 pontos, ou 0,52%. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.