As Bolsas de Nova York abriram o pregão de hoje em alta, com os investidores encontrando inspiração no relatório do Departamento do Comércio norte-americano que mostrou que as encomendas de bens duráveis nos Estados Unidos subiram inesperadamente em fevereiro, ante expectativa de queda. Segundo analistas, passada a euforia com o plano para os ativos tóxicos e as devidas correções nas ações do setor bancário, os investidores buscam um novo motivo para embarcar em novas altas.

"Agora que a euforia inicial em torno do anúncio (do plano para os bancos) passou, fica claro que uma solução para estabilizar as instituições financeiras tem pouco significado na economia real, onde o desemprego está aumentando, a poupança está em alta e a demanda continua caindo", comentou Lena Komileva, chefe de economia para o G-7 da Tullett Prebon, em Londres, em nota a clientes.

Às 10h31 (de Brasília), o índice Dow Jones subia 0,66%, o Nasdaq 100 avançava 0,82% e o S&P 500 tinha alta de 0,72%.

As encomendas de bens duráveis nos EUA subiram 3,4% em fevereiro em comparação a janeiro, para o nível sazonalmente ajustado de US$ 165,56 bilhões, informou hoje o Departamento do Comércio norte-americano. Foi o melhor resultado desde o aumento de 4,1% registrado nas encomendas em dezembro de 2007.

A agenda norte-americana de hoje reserva ainda o relatório de venda de imóveis novos e um discurso do secretário do Tesouro dos EUA, Timothy Geithner.

No âmbito corporativo, as ações da Siemens caíram 7% no pré-mercado em Wall Street, depois que o executivo-chefe da empresa, Peter Loescher, disse ao jornal alemão Handelsblatt que o ambiente do mercado piorou desde janeiro. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.