Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsa de Nova York cai 5% em quatro minutos de pregão

O índice Dow Jones da Bolsa de Nova York abriu em baixa e recuava 5,10% em quatro minutos de pregão, às 11h34. O Nasdaq caía 6,41% e o S&P 500 cedia 4,97%.

Agência Estado |

Pela primeira vez em pelo menos cinco anos, os índices futuros de ações de Wall Street tiveram suas operações interrompidas após atingirem o limite diário de queda, em meio ao pânico nos mercados globais. A paralisação ocorreu logo cedo, por volta das 8 horas (de Brasília), com o Nasdaq-100 em baixa de 6,76%, a 1.168,75 pontos e o S&P 500 em queda de 6,56%, para 855,2 pontos.

"É esta a cara dos mercados globais quando uma liquidação está em curso", disse o analista-chefe de mercado da Jefferies, Art Hogan. "A única coisa que sobe, além do nível de pânico, são os preços dos Treasuries."

Especialistas disseram à rede de notícias CNBC que um dos motivos pelos quais as ações não encontram um piso é que os fundos de hedge continuam desovando ativos para fazer caixa e cumprir os pedidos de resgate. "Centenas, talvez milhares, de grupos de investimento devem afundar este ano diante da intensa pressão de ajuste antes do final de seu trimestre fiscal, em 31 de outubro", diz a CNBC.

O pregão de ontem em Wall Street foi errático, mas de maneira geral positivo, e os principais índices terminaram em alta. Esse desempenho não se repetiu nos pregões asiáticos. A Bolsa de Tóquio fechou em queda de 9,6%, com os corretores exibindo sua primeira reação ao alerta de lucro feito pela Sony. Na Coréia do Sul, o índice Kospi caiu 11%, com a notícia de que a economia local cresceu aos ritmo mais fraco em quatro anos durante o terceiro trimestre.

Na Europa, as quedas também são fortes. Às 11h15 (de Brasília), todos as principais bolsas do continente operavam com declínios superiores a 8%. O PIB do Reino Unido caiu 0,5% no terceiro trimestre ante o segundo, o primeiro recuo desde 1992, e o índice dos gerentes de compra composto da zona do euro atingiu o menor nível desde o início da série, há dez anos. Houve também alertas de lucros da Samsung Electronics, Air France-KLM e Peugeot, depois da Microsoft ontem. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG