A libra esterlina atingiu nova mínima em seis anos contra o dólar, projetando o euro para nova máxima histórica ante a moeda inglesa, após o relatório trimestral de inflação do Banco da Inglaterra (BoE) sinalizar que o banco central inglês deve considerar outros cortes de juro. A Bolsa de Londres também reagiu à informação e passou a subir.

O relatório previu que, com o juro a 3% ao ano, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) irá cair para abaixo da meta do BC, de 2%, no médio prazo e haverá deflação a partir do final do ano que vem. A taxa de juro inglesa foi cortada para 3% ao ano na quinta-feira passada.

Após a divulgação das informações, nesta manhã, o euro chegou a 0,8216 euro por libra, recorde durante a sessão e a libra caiu para US$ 1,5228, mínima em seis anos. Às 9h52, o índice FT-100, da Bolsa de Londres, operava em alta de 1,33%. A Bolsa de Paris também inverteu a direção e registrava ganho de 1,15%. A Bolsa de Frankfurt avançava 0,85% no mesmo horário.

O presidente do BoE, Mervyn King, disse hoje que o Comitê de Política Monetária está preparado para cortar o juro novamente, depois da redução de 1,5 ponto porcentual na semana passada, para 3%, o menor nível desde os anos 1950. "Estamos certamente preparados para cortar esse juro novamente se for necessário", disse ele. King afirmou que o comitê cortaria os juros para "qualquer nível que for necessário para assegurar" que a inflação volte à meta. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.