SÃO PAULO - As bolsas europeias encerraram o pregão desta quinta-feira em direções divergentes, com ligeiras variações de alta e de baixa. Entre as influências do dia, os agentes ponderaram alguns balanços que mostram os efeitos da crise sobre os ganhos das empresas.

Também foram considerados na sessão as decisões do Banco da Inglaterra de cortar o juro do país em 0,50 ponto percentual, para 1% ao ano, e a do Banco Central Europeu (BCE), que manteve o juro básico da zona do euro inalterado em 2% ao ano.

No final dos negócios, o FTSE-100, de Londres, fechou praticamente estável, com alta de apenas 0,01%, aos 4.228 pontos. Em Frankfurt, o DAX subiu 0,39%, para 4,510 pontos. O CAC 40, de Paris, fechou aos 3.066 pontos, com recuo de 0,09%.

A grande baixa veio dos papéis do setor financeiro. As ações da Swiss Re caíram 28% na bolsa suíça após a empresa informar que diminuirá dividendos e aumentará capital. O Goldman Sachs diminuiu a recomendação dos papéis da companhia de "compra" para "neutro".

Também recuaram 3,6% os papéis do Zurich Financial Service. A seguradora suíça informou que o lucro do quarto trimestre de 2008 caiu 87%. O Deutsche Bank, que anunciou prejuízo de 4,8 bilhões de euros no período, viu seus papéis declinarem 4,2%.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.