Tamanho do texto

Por Kevin Plumberg HONG KONG (Reuters) - Os mercados asiáticos e o dólar norte-americano subiram fortemente na sexta-feira, à medida que autoridades norte-americanas se empenham em um plano que investidores esperam ser capaz de corrigir uma crise que devastou bancos e abalou o sistema financeiro global.

O secretário do Tesouro, Henry Paulson, e o presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, devem trabalhar juntos neste final de semana em um plano que líderes do Congresso dos Estados Unidos dizem que irá focar em ativos sem liquidez --a fonte de problemas que prejudicou balanços, levou o Lehman Brothers ao pedido de falência e induziu o governo dos EUA a resgatar a AIG esta semana.

Entretanto, analistas ainda têm dúvidas sobre qual será o preço do plano e se haverá tempo suficiente para que uma lei seja aprovada, uma vez que alguns membros do Congresso devem deixar a Casa até o fim do mês para fazer campanha para as eleições presidenciais.

'A ação do governo dos Estados Unidos de tentar fazer tudo ao seu alcance para ajudar é boa, ainda que não tenhamos detalhes', disse Takahiko Murai, gerente-geral de ações do Nozomi Securities em Tóquio.

O governo chinês tentou ativamente estabilizar seu mercado na sexta-feira, afirmando que comprará ações de três dos maiores bancos estatais.

As medidas ajudaram a impulsionar a bolsa de XANGAI em 9,5 por cento, depois de ter fechado na terça-feira no menor patamar em 22 meses.

O índice Hang Seng, de HONG KONG, subiu 9,6 por cento, impulsionado por um setor financeiro reanimado.

As ações do Industrial and Commercial Bank of China, o maior banco de empréstimos da China com listagem em Hong Kong, subiram 14,2 por cento e estavam entre as maiores altas do índice.

O índice Nikkei, da bolsa de TÓQUIO, teve alta de 3,8 por cento, depois de ter sofrido a maior queda em três anos na quinta-feira. Ações do principal banco do país, o Mitsubishi UFJ Financial tiveram valorização de 11,5 por cento depois de uma semana volátil.

Fora do Japão, o índice dos principais mercados da região Ásia-Pacífico subia forte 7,1 por cento às 7h50 (horário de Brasília), na maior valorização diária ocorrida desde agosto de 2007, quando o setor financeiro dos Estados Unidos foi tomado por defaults em espiral de hipotecas.

Apesar disso, o indicador fechou a semana em baixa de 3,2 por cento.

A bolsa de SEUL subiu 4,55 por cento, CINGAPURA saltou 5,78 por cento, TAIWAN disparou 5,82 por cento e SYDNEY se valorizou em 4,27 por cento.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.