Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Gabrielli: Petrobras precisa de aporte de até US$ 25 bi

O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, afirmou hoje que a companhia precisa de um aporte de algo entre US$ 15 bilhões e US$ 25 bilhões para fazer frente ao plano de investimentos entre 2010 e 2014, que pode chegar a US$ 220 bilhões. É o valor que precisa entrar no caixa da empresa para manter a atual relação capital versus dívida, e capital versus Ebitda, disse em entrevista concedida após participar do lançamento do patrocínio para projetos sociais no Brasil.

Agência Estado |

Os indicadores norte-americanos, que poderiam dar algum fôlego aos ativos, desapontaram, mas, do lado doméstico, Petrobras hoje se destacou, impedindo um tombo ainda maior do Ibovespa.

A Bolsa doméstica recuou 0,68%, aos 68.913,40 pontos. Na mínima da sessão, registrou 68.744 pontos (-0,93%) e, na máxima, os 69.677 pontos (+0,42%). No mês, o Ibovespa sobe 3,62% e, no ano, 0,47%. O giro financeiro totalizou R$ 5,75 bilhões. Os dados são preliminares.

Os investidores foram às compras de ações da Petrobras hoje depois que o presidente da empresa, José Sérgio Gabrielli, deu, em teleconferência, informações agradáveis sobre capitalização da estatal. Segundo ele, o processo deve, sim, ocorrer este ano e pode ser ainda nesse primeiro semestre. Gabrielli também comentou que a trajetória de expansão do endividamento da Petrobras vista em 2009 é resultado do aumento dos investimentos da companhia e que esse movimento não deve ser encarado com preocupação. Ele destacou ainda a melhoria do perfil dos vencimentos. As ações ordinárias (ON) da Petrobras terminaram em alta de 1% e as preferenciais (PN), de 0,75%.

O petróleo recuou no exterior, influenciado pela aversão a risco que puxou para cima o dólar e também com os dados de estoques norte-americanos. O contrato futuro com vencimento em maio perdeu 1,59%, a US$ 80,61 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês).

As preocupações que rondaram as mesas de negociações hoje e puxaram o petróleo para baixo também impactaram outras commodities, como os metais, que igualmente recuaram. Na Bolsa brasileira, as ações da mineradora Vale até tentaram manter os ganhos da véspera, mas não conseguiram. Vale ON perdeu 0,18% e Vale PNA, -0,10%.

Nos EUA, o Dow Jones caiu 0,48%, a 10.836,15 pontos, o S&P recuou 0,55%, a 1.167,72 pontos, e o Nasdaq perdeu 0,68%, a 2.398,76 pontos. Os dados de imóveis novos decepcionaram: as vendas caíram 2,2% em fevereiro nos EUA, para a taxa anualizada e ajustada sazonalmente de 308 mil, estabelecendo um nível mínimo recorde para a série que começou em 1963. Economistas esperavam um aumento de 1,9%; já as encomendas de bens duráveis subiram 0,5% em fevereiro, abaixo da previsão de alta de 0,7% dos economistas.

Telebrás ON caiu 12,35% e PN, -13,61%, puxadas por notícias de que o Tesouro Nacional defende a extinção da empresa e a criação de uma nova empresa pública para exercer as funções da estatal de telecomunicações. Segundo apurou a Agência Estado, o Tesouro também alerta sobre o custo de manutenção da Telebrás e para a possibilidade de ser necessário um novo aporte financeiro do Tesouro.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG