A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), abriu hoje em alta, seguindo o desempenho dos mercados externos. Porém, o desânimo no mercado brasileiro de ações deve se manter esta semana com os investidores carregando as recentes preocupações: matérias-primas (commodities) e dólar.

Às 10h10 (de Brasília), o Ibovespa subia 0,91%, a 54.735 pontos, na pontuação máxima do dia até este horário.

O recuo nos preços do petróleo e dos metais e o avanço do dólar ante outras moedas estrangeiras afugentam o investidor estrangeiro da Bovespa. No mesmo horário, o contrato futuro do petróleo tipo WTI, com vencimento em setembro, subia 0,18%, a US$ 113,97 o barril.

Hoje, o Ibovespa pode até vir buscar de novo os 55 mil pontos, perdidos na última sexta-feira (dia 15), mas ainda longe de ser um movimento consistente, dado o quadro de volatilidade elevada e de incertezas. Mas o vencimento de opções sobre ações, que ocorre durante esta manhã, torna mais difícil ainda qualquer aposta para esse mercado hoje. A expectativa é de um vencimento ainda mais fraco do que foi o anterior, de julho, que resultou num volume de negócios de R$ R$ 657,794 milhões, o menor desde março. Mas como as ações estão num nível de preço muito baixo, acabam se tornado atraente, e podem ser um chamariz para as compras.

A opção é um contrato que confere ao portador o direito de compra ou venda de um ativo a um preço predeterminado. O vencimento de opções é a data de validade desses contratos. A partir do dia seguinte, o detentor da opção não pode mais exercê-la. Por isso, no dia de vencimento das opções e nos dias imediatamente anteriores, o movimento da Bolsa pode sofrer distorções, com os investidores atuando de forma tal que os preços das ações se aproximem daqueles valores que mais os favorecem quando a opção for exercida.

Do ponto de vista do petróleo, a Bovespa não tem motivo, por ora, para se animar. As ações da Petrobras devem observar o rumo da commodity, ao mesmo tempo em que os investidores acompanham com muita atenção o debate sobre uma nova estatal do petróleo para gerenciar a exploração na camada do pré-sal, localizada abaixo do leito marinho, que continua nas manchetes. Às 10h09, as ações ordinárias (ON) da estatal subiam 0,6% e as preferenciais (PN), cresciam 0,98%.

Os metais operam em leve alta, sustentados pelo dólar mais fraco e um sólido desempenho do cobre na Bolsa de Futuros de Xangai. Mas a fraca demanda dos meses de verão no hemisfério norte continuam a pesar sobre os preços, segundo analistas. A alta das mineradoras na Europa, no entanto, pode dar tração adicional à Vale. Em Londres, a ação da BHP subia 1,3%, após anunciar seu sexto lucro recorde consecutivo no ano fiscal encerrado em 30 de junho, ao mesmo tempo em que traçou prognósticos otimistas. No mesmo horário, as ações PN classe A (PNA), da Vale subiam 0,95%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.