A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu em alta hoje, influenciada pelo clima favorável no exterior, onde os investidores seguem na expectativa dos detalhes sobre o andamento do plano de resgate do sistema financeiro americano. A abertura animada do mercado doméstico reflete também a expectativa de alta acentuada das ações da Petrobras, Vale e BM&FBovespa, cada uma delas por motivos diferentes.

Às 10h10 (de Brasília), o índice Bovespa subia 1,7%, a 50.691 pontos, após avançar 1,77%, a 50.27 pontos, na máxima do dia até o momento.

A Petrobras confirmou ontem à noite a descoberta de óleo leve e gás na área de Júpiter, na Bacia de Santos. Segundo o comunicado, as operações confirmam a ocorrência de uma grande jazida de gás natural e óleo leve na camada do pré-sal, localizada abaixo do leito marinho. Nesse projeto, a Petrobras opera em conjunto com a Galp Energia (com participação de 20%). Com relação à estimativa dos volumes de óleo e gás, a estatal afirma que ainda é preciso aguardar as análises das amostras de fluidos recuperados no poço e a perfuração de novos poços.

Porém, os preços do petróleo operam em baixa no exterior, em meio a dúvidas quanto à capacidade da matéria-prima (commodity) de manter os ganhos recentes diante dos persistentes receios com o crescimento econômico.

No caso da Vale, o mercado deve repercutir positivamente nos papéis a entrevista do presidente da mineradora, Roger Agnelli, à revista Época. Ele confirmou que negocia com siderúrgicas asiáticas reajuste "em torno" de 11% ainda para este ano e que "várias usinas chinesas já aceitaram".

Outra notícia que deve ajudar a puxar a Bovespa na abertura é o anúncio de recompra de ações pela BM&FBovespa, aprovada ontem pelo Conselho de Administração da companhia. A recompra será de até 3,5% do total de ações em circulação, ou o equivalente a 71,266 milhões de ações ordinárias (ON), pelos próximos 365 dias. Conforme a companhia, o objetivo da recompra, que se encerrará em 23 de setembro de 2009, é "maximizar a geração de valor para os acionistas, por meio de uma administração eficiente da estrutura de capital".

No horário citado acima, as ações ordinárias (ON) da BM&FBovespa subiam 2,82%, a R$ 8,74. Os papéis ON e preferenciais (PN) da Petrobras avançavam 2,45% e 2,15%, respectivamente, enquanto as ações PN classe A (PNA) da Vale ganhavam 1,87%.

EUA

O mercado acompanha a evolução dos debates em torno da aprovação no Congresso americano do pacote de US$ 700 bilhões. A possibilidade de atraso na execução do programa é vista como o maior risco do momento.

Ontem à noite, o presidente dos EUA, George W. Bush, convidou os candidatos à presidência Barack Obama e John McCain, e os líderes no Congresso a irem à Casa Branca, para discutir o projeto. O encontro deve ocorrer hoje. Em seu pronunciamento feito ontem à noite, Bush pediu apoio ao pacote e enfatizou a necessidade de sua rápida aprovação pelo Congresso em função dos elevados riscos pelos quais passa a economia americana, ressaltados pelo presidente.

Hoje, o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Ben Bernanke, e o secretário do Tesouro dos EUA, Henry Paulson, voltam ao Congresso no início da tarde, desta vez para falar sobre a intervenção federal nas agências de crédito hipotecário Fannie Mae e Freddie Mac.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.