Tóquio - O governador do Banco do Japão (BOJ), Masaaki Shirakawa, disse nesta terça-feira que a economia japonesa se manterá por enquanto enfraquecida e que a instituição emissora continua atenta aos riscos derivados de uma alta de preços e do baixo crescimento do país.

Um dia depois da renúncia do primeiro-ministro, Yasuo Fukuda, Shirakawa indicou que, em relação à política monetária, o BOJ continuará "dando os passos necessários após examinar as probabilidades dos riscos para a economia e os preços".

Em discurso em Nagóia (centro), o governador do banco central japonês assinalou que a segunda maior economia do mundo enfrenta uma situação complicada, devido ao arrefecimento de seu crescimento e à alta dos preços, segundo a agência "Kyodo".

"A situação atual faz com que o banco acompanhe de perto tanto os riscos para o crescimento econômico como para a inflação", apontou o governador do BOJ.

"Podem surgir riscos de condições financeiras acomodatícias durante um período prolongado, e que requerem atenção", acrescentou.

Shirakawa indicou, no entanto, que a economia japonesa não sofrerá um ajuste prolongado demais.

Os preços subiram 2,4% em julho passado no Japão, seu maior aumento em uma década, especialmente devido ao aumento dos preços da energia e do Produto Interno Bruto (PIB) ter se contraído 2,4% no último trimestre.

O BOJ mantém as taxas de juros no Japão em 0,50% há 18 meses, o nível mais baixo entre todas as grandes áreas monetárias.

Leia mais sobre Japão

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.