Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Boeing venderá 95 aviões para companhias dos Emirados Árabes

Farnborough (R. Unido), 14 jul (EFE).

EFE |

- A Boeing anunciou hoje a venda de 50 aviões 737-800 Next-Generation para a companhia aérea de baixo custo FlyDubai por US$ 3,74 bilhões.

A empresa americana também anunciou a venda de 45 aviões para a Etihad Airways, companhia aérea dos Emirados Árabes Unidos, em uma transação estimada em US$ 9,4 bilhões.

A Boeing fez os anúncios na feira Farnborough Air Show, aberta hoje e que se estenderá até domingo nesse aeroporto a 50 quilômetros ao sul de Londres.

O contrato com a FlyDubai abrange o pedido de 50 aeronaves 737-800 (com capacidade máxima para 189 passageiros), assim como um acordo para operar outros quatro aviões desse tipo em regime de leasing com a companhia Babcock & Brown Aircraft Management.

O valor total da operação chega a US$ 4 bilhões, afirmaram diretores das duas empresas em coletiva de imprensa conjunta.

"O Boeing 737 Next-Generation atende de maneira ideal nossa missão de dar a cerca de 2 bilhões de habitantes na região uma opção de transporte acessível, eficiente e flexível para Dubai", disse o presidente da FlyDubai, xeque Ahmed bin Saeed al-Maktoum.

O presidente e executivo-chefe de Boeing, Jim McNerney, disse que o 737-800 pode trazer ao "inovador modelo de negócio" da companhia aérea o "mesmo êxito" que outras companhias aéreas de baixo custo tiveram.

O Governo de Dubai criou a FlyDubai em março, apesar de seus aviões só começarem a voar até meados do próximo ano.

Já o contrato com a Etihad Airways contempla uma encomenda de 35 aviões 787-9 Dreamliner, um avião de longo alcance e tamanho médio (entre 250 e 290 passageiros) caracterizado por sua grande eficiência no consumo de combustível e que deve entrar em operação no final de 2009.

A Etihad também adquiriu dez aviões 777-300ER, aeronaves de longo alcance com capacidade para transportar até 365 passageiros.

A Farnborough Air Show, uma feira bienal que realiza sua 46ª edição e completa 60 anos, começou hoje marcada pela tradicional rivalidade entre a Boeing e o consórcio europeu Airbus, assim como pela pressão sobre o setor aéreo devido aos elevados preços do petróleo.

Os analistas não acreditam que a Farnborough chegue aos 600 pedidos contabilizados no ano passado no Salão de Le Bourget (arredores de Paris), outro grande evento bienal do setor aeronáutico juntamente com a feira britânica.

De qualquer forma, a escalada do preço do petróleo beneficiou as companhias aéreas nacionais de países do Golfo Pérsico, que contam com fundos para fazerem aquisições. EFE pa/wr/rr

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG