Tamanho do texto

SÃO PAULO - A Boeing acredita que o preço do petróleo deverá se estabilizar na faixa entre US$ 70 e US$ 80 o barril nos próximos 20 anos. A informação foi dada pelo vice-presidente de Marketing da companhia, durante apresentação a jornalistas ontem na Austrália.

Segundo ele, as previsões da empresa têm se provado "bastante corretas" nesta última década.

A apresentação, semelhante à ocorrida também ontem no Brasil, aprofundava os números da perspectiva anual que a Boeing faz para o mercado nos próximos 20 anos. Na Austrália, Tinseth, que esteve no início do ano no Brasil apresentando o relatório, reconheceu que a companhia errou na previsão, feita em 2000, a respeito de aeronaves grandes (que inclui o 747 e o Airbus A380) e de jatos regionais.

Há oito anos, a empresa apontava que a participação dos aviões grandes e dos regionais na frota mundial seria de 5% e 19%, respectivamente. Nos números atuais, a companhia prevê que tenham fatia de apenas 3% e 14%, respectivamente.

No Brasil o diretor de Marketing para as Américas, Michael Barnett, afirmou que a Boeing Capital, braço financeiro da empresa, está preparada para oferecer crédito a clientes se necessário, mas que o mercado tradicional ainda tem boas linhas de financiamento. Na Austrália, porém, Tinseth anunciava que a Boeing deverá voltar ao mercado de crédito, uma vez que vê secarem algumas fontes de financiamento para a compra de aeronaves.

(José Sergio Osse | Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.