Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Boeing é pressionada para criar segunda linha para programa do 787 e diminuir atrasos nas entregas

SÃO PAULO - A Boeing tem sido pressionada por clientes para implantar uma segunda linha de produção para seu novo jato médio de longo alcance, o 787 Dreamliner, e assim dar conta da demanda. A medida também seria importante para recolocar o atrasado programa do avião no cronograma.

Valor Online |

Até agora, a Boeing já anunciou dois atrasos no projeto, que adicionou quase dois anos ao prazo de entrega das aeronaves já vendidas.

A pressão pela segunda linha de produção é liderada pela Qatar Airways, que tem 30 pedidos firmes para o 787, além de 35 opções para o mesmo modelo. Os aviões, que originalmente deveriam começar a ser entregues no meio de 2010, só devem chegar agora a partir do início de 2012. Nosso atraso é de quase 22 meses, mas a Boeing tem trabalhado para melhorar isso, afirmou o executivo-chefe da empresa do Qatar, Akbar Al Baker.

O executivo diz estar confiante nas medidas que a Boeing tomará. (Medidas) que vão encolher significativamente esse atraso, seja por melhorar os processos na cadeia de suprimentos ou implementando uma segunda linha de produção, afirmou. Segundo Al Baker, a Boeing está ciente das pesadas compensações que terá de assumir perante as companhias afetadas pelo atraso no programa do 787.

A criação de uma segunda linha de montagem para o avião permitiria que a fabricante produzisse mais aeronaves de uma só vez do que se apenas acelerasse o ritmo em uma linha única. Com a maturação do programa, o nível de produção poderia até superar a meta de 10 aviões por mês a partir de 2012.

A Boeing prefere não comentar a respeito de uma segunda linha de montagem.

(José Sergio Osse | Valor Online, com agências internacionais)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG