Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

BNDES não assumirá perda de empresas, diz Coutinho

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, reafirmou hoje que o banco está disponível para desembolsar recursos para empresas com projetos de investimentos e que sofreram com os problemas de derivativos. Contudo, disse, o BNDES não vai arcar com prejuízos das empresas.

Agência Estado |

"As perdas das empresas serão absorvidas pelas empresas e ninguém vai assumir nenhum prejuízo, mas uma vez absorvidos estes prejuízos, o BNDES pode apoiar seus investimentos", afirmou Coutinho, na embaixada do Brasil em Buenos Aires.

"Se alguma empresa tem um plano de investimento aprovado ou plano de financiamento, podemos desembolsar os recursos sem problema. Não há contradição nisso." Ele lembrou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o setor público não vai socializar as perdas das empresas, mas isso não significa que vamos deixar as empresas penalizadas.

Sobre a Aracruz, Coutinho desmentiu que o banco tenha um plano de socorro para a empresa. "Não estamos estudando nenhum socorro para a Aracruz, que terá que resolver seus problemas bancários", afirmou. Segundo ele, o BNDES já conversou com a empresa e deixou claro que, se houver algum pedido de financiamento, o banco vai examiná-lo e submetê-lo à aprovação.

Coutinho também informou que os R$ 7 bilhões de recursos adicionais para o BNDES, aprovado ontem pelo Conselho Curador do FGTS, serão aplicados em infra-estrutura. "Esses recursos vão reforçar nosso papel firme nesse período em que o sistema bancário está travado e vamos usar esses recursos complementares para os vários projetos de infra-estrutura."

O presidente do BNDES informou que em 2008, "o setor vai investir R$ 45 bilhões e em 2009 o volume será igual ou maior, na medida em que há projetos de duas hidrelétricas para o Rio Madeira, novas concessões rodoviárias e ferroviárias e outros projetos, cujos desembolsos no ano que vem serão acelerados".

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG