Tamanho do texto

O diretor de Planejamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), João Carlos Ferraz, informou hoje que as quatro metas estabelecidas em 2008 pela política industrial do governo, a chamada Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP), não serão atingidas em 2010. A conclusão faz parte de um balanço da PDP feito hoje pelo presidente do BNDES, Luciano Coutinho, ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O diretor de Planejamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), João Carlos Ferraz, informou hoje que as quatro metas estabelecidas em 2008 pela política industrial do governo, a chamada Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP), não serão atingidas em 2010. A conclusão faz parte de um balanço da PDP feito hoje pelo presidente do BNDES, Luciano Coutinho, ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Coutinho e Lula não deram entrevista e Ferraz foi o porta-voz da reunião.<p><p>As quatro metas da PDP são: a elevação da taxa de investimento da economia a 21% do PIB; o aumento da participação brasileira no comércio exterior; a expansão dos gastos privados com inovação tecnológica; e o aumento da parcela de pequenas empresas exportadoras.<p><p>Segundo Ferraz, os reflexos da crise econômica impediram o cumprimento das metas da PDP. No entanto, ele afirmou que as políticas de incentivo ao mercado interno e ao investimento das empresas amenizaram a influência negativa da crise econômica internacional. Ele disse que o presidente Lula ficou satisfeito com os resultados atingidos até agora, que não foram detalhados, porque "o que importa não é atingir as metas e sim se estamos na direção". Coutinho e Lula almoçaram na sede do BNDES hoje.