RIO DE JANEIRO - Os desembolsos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) atingiram no período de janeiro a novembro R$ 79,9 bilhões, segundo informou nesta quinta-feira o Banco em comunicado. De acordo com a instituição, o valor é recorde e aponta uma continuidade na expansão do crédito concedido pela instituição de fomento.

Nos últimos 12 meses até o mês passado, os desembolsos atingiram R$ 88,2 bilhões, o que representa um crescimento de 32% em relação a igual período do ano passado.

Ainda segundo o BNDES, do total de desembolsos no acumulado de 11 meses do ano, a indústria respondeu por 41% (R$ 32,4 bilhões) e a infra-estrutura, por 39% (R$ 31,3 bilhões).

O Banco informou ainda que os desembolsos destinados para a indústria foram 37% acima do registrado para o mesmo setor, no mesmo período no ano passado. Já quanto ao setor de infra-estrutura, o crescimento das liberações foi ainda superior, de 45%, na comparação com janeiro a novembro de 2007.

Nos primeiros 11 meses do ano, os destaques ficam por conta dos desembolsos para energia elétrica, que totalizaram R$ 7,3 bilhões, um aumento de 50% ante igual período no ano passado; e transporte rodoviário, com R$ 12,7 bilhões, uma elevação de 41% em relação aos 11 primeiros meses de 2007.

Aprovações

As aprovações para financiamento do BNDES no período de janeiro a novembro deste ano somaram R$ 102,8 bilhões, montante recorde e 31% superior ao registrado em igual período do ano passado. Nos últimos 12 meses até novembro, as aprovações totalizaram R$ 123 bilhões, com expansão de 36%.

Segundo comunicado da instituição financeira de fomento, o crescimento das aprovações foi menor, no entanto, do que a taxa de elevação dos desembolsos no acumulado do ano até novembro, que cresceram 41% acima do registrado no período de janeiro a novembro de 2007.

O BNDES informou que um dos destaques do ano foi o aumento de 67% das aprovações para a indústria no acumulado dos 11 meses de 2008, totalizando R$ 52,8 bilhões. Na análise da instituição, esse desempenho foi influenciado por "grandes projetos industriais apresentados ao BNDES, especialmente nas áreas de metalurgia (R$ 10,3 bilhões), alimentos e bebidas (R$ 9,5 bilhões) e indústria extrativa (R$ 12,6 bilhões), que já estão em andamento", segundo o comunicado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.