Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

BNDES aprova financiamento de R$ 7,2 bilhões para Jirau

RIO - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou um financiamento de R$ 7,2 bilhões para a construção da hidrelétrica de Jirau, no rio Madeira, que terá capacidade instalada de 3,3 mil megawatts. O valor é o maior já aprovado pelo banco de fomento para um único projeto.

Valor Online |

Os recursos serão destinados ao consórcio Energia Sustentável do Brasil, sociedade de propósito específico formada por Suez, Eletrosul, Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) e Camargo Correa. O volume de recursos representa 68,5% do investimento total na construção da usina.

O BNDES vai liberar diretamente R$ 3,635 bilhões, enquanto os outros R$ 3,585 bilhões serão distribuídos pelo Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Bradesco BBI, Unibanco e Banco do Nordeste do Brasil, que atuarão como agentes financeiros e ficarão com parte do risco da operação.

O consórcio tem até 180 dias para assinar o contrato que permitirá a liberação. A carência é de cinco anos, com prazo de 25 anos para pagamento. Os juros anuais serão de Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP, atualmente em 6,25% ao ano), mais 0,5% (piso para projetos de energia com potência superior a 2 mil megawatts), somados ao spread de risco, que é sigiloso e único para cada projeto.

O diretor de infraestrutura do banco de fomento, Wagner Bittencourt, afirmou que a primeira usina do complexo do Madeira, a hidrelétrica de Santo Antônio, está em processo de contratação do valor aprovado pelo banco, de R$ 6,6 bilhões, que representa 65% do custo previsto para a obra.

"A participação do BNDES em Santo Antônio foi menor porque o consórcio vencedor da licitação conseguiu recursos de outras fontes, como o Banco da Amazônia (Basa)", afirmou Bittencourt.

(Rafael Rosas | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG