Os mercados do segmento Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) movimentaram, em novembro, volume financeiro de R$ 122,99 bilhões, mostrando queda de 20,2% sobre o mês anterior. A média diária foi de R$ 6,47 bilhões, com redução de 11,8%.

No mês passado, o número total de negócios atingiu 7.243.282, com média diária de 381.225, mostrando queda de 20,9% e 12,6%, respectivamente, ante outubro. Segundo comunicado da Bolsa, no mês passado o valor de mercado das 385 empresas com ações negociadas na BM&FBovespa foi de R$ 2,27 trilhões, ante R$ 2,11 trilhões referentes às 387 empresas com ações negociadas no mês anterior.

As 158 empresas integrantes dos Níveis Diferenciados de Governança Corporativa da BM&FBOVESPA, ao final de novembro, representavam 64,92% do valor de mercado, 77,27% do volume financeiro, e 80,73% da quantidade de negócios realizados no mercado à vista. Segundo comunicado da Bolsa, as ações que registraram maior giro financeiro em novembro foram: Vale PNA, com R$ 13,64 bilhões; Petrobras PN, com R$ 12,73 bilhões; OGX Petróleo ON, com R$ 4,87 bilhões; Itaú Unibanco PN, com R$ 3,61 bilhões; e BMFBovespa ON, com R$ 3,25 bilhões.

O índice Bovespa (Ibovespa) encerrou novembro em alta de 8,93% a 67.044 pontos. As ações que obtiveram as maiores altas do Ibovespa foram: Gol PN (+37,04%); Duratex ON (+27,85%); Lojas Americanas PN (+25,00%); Rossi Residencial ON (+24,68%); e Lojas Renner ON (+23,39%). As maiores baixas do Ibovespa foram: Brasil Telec ON (-8,51%); BRF Foods ON (-3,96%); Sabesp ON (-2,80%); Souza Cruz ON (-2,73%); e Embraer ON (-2,24%).

Em novembro, os investidores pessoas físicas detiveram 30,28% da participação no volume financeiro, ante 30,53%, em outubro. Os investidores estrangeiros ocuparam a segunda posição, com 29,51%, ante 33,67%; os investidores institucionais ficaram com 27,78%, ante 24,80%; as instituições financeiras, com 10,10%, ante 8,99%; as empresas, com 2,25%, ante 1,95%; e o grupo outros com 0,08%, ante 0,06%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.