Por Aluísio Alves SÃO PAULO (Reuters) - O repique nos preços das commodities e os resultados acima das previsões de algumas empresas domésticas sustentaram a Bovespa no azul, opondo-se a Wall Street, onde o Dow Jones terminou o dia no pior patamar em mais de 6 anos.

Em dia volátil, o Ibovespa chegou ao final do pregão com leve alta de 0,14 por cento, aos 39.730 pontos. O giro financeiro restringiu-se a 2,95 bilhões de reais, o segundo menor movimento diário em fevereiro.

"O que segurou o índice foram Petrobras e Vale", disse Luiz Roberto Monteiro, assessor de investimentos da corretora Souza Barros, referindo-se às ações mais importantes do Ibovespa.

Petrobras subiu 1,6 por cento, para 26,30 reais, depois de a cotação do barril do petróleo disparar 14 por cento com o anúncio de que os estoques da commodity nos Estados Unidos caíram inesperadamente na semana passada.

A recuperação foi acompanhada em outros mercados de matérias-primas, como os de metais, o que ajudou Vale a subir 0,6 por cento, a 29,79 reais.

O dia foi pródigo em balanços corporativos do quarto trimestre de 2008, o que tomou bastante das atenções do mercado. Na ponta de cima, Banco do Brasil cresceu 2,15 por cento, para 13,80 reais, depois de ter divulgado lucro de 2,94 bilhões de reais, acima das expectativas do mercado.

Já Gerdau viu seu lucro do trimestre despencar 67 por cento, para 311 milhões de reais, o que contaminou suas ações, que caíram 2,1 por cento, para 14,39 reais.

A construtora Cyrela cedeu 5,9 por cento, para 8,48 reais, após frustrar os investidores reportando vendas do quarto trimestre abaixo das previsões.

Outra nota negativa do pregão foi Embraer, com declínio de 1,9 por cento, valendo 8,46 reais, após anunciar a demissão de mais de 4 mil funcionários e nova redução nas projeções de entregas de aviões este ano, para 242 unidades.

A fabricante de aeronaves deve engrossar a tendência reportada nesta quinta-feira pelo Caged, revelando que o mercado brasileiro fechou mais de 100 mil postos de trabalho com carteira assinada em janeiro, a primeira queda desde 1999.

O dia repleto de notícias corporativas domésticas tirou em parte o foco dos investidores sobre Wall Street, onde o índice Dow Jones fechou no menor patamar em mais de 6 anos.

Lá, os investidores deram de ombros para a notícia de que o índice de principais indicadores dos EUA subiu inesperadamente em janeiro, apagando as previsões de piora da recessão.

Os investidores de Nova York seguiram tensos com a possibilidade de novos problemas com grandes bancos e céticos com os planos do governo Obama para tirar o país da crise

(Edição de Vanessa Stelzer)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.