Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bilionário alemão se mata em meio à crise global

Adolf Merckle, um dos homens mais ricos da Alemanha, cometeu suicídio ao se jogar debaixo de um trem semanas depois que o império de negócios de sua família - que vai do setor farmacêutico à fabricação de cimento - começou a ruir em meio ao aumento das dívidas, segundo informou a família do executivo. A morte repentina do bilionário de 74 anos, cuja companhia holding - a VEM Vermoegensverwaltung GmbH - controla dezenas de empresas e quase 30 bilhões de euros (US$ 40,5 bilhões) em vendas anuais, é uma das mais trágicas consequências da crise financeira global até agora.

Agência Estado |

Merckle, um advogado que evitava aparecer em público, herdou a empresa do setor farmacêutico de sua família na década de 1960 e expandiu o negócio agressivamente. No ano passado, porém, o executivo perdeu centenas de milhões de euros em apostas equivocadas no mercado de ações, de acordo com fontes. Boa parte dessas perdas estão ligadas a posições em ações da montadora alemã Volkswagen. Merckle apostou que o valor das ações cairia, mas ele disparou no fim do ano.

Banqueiros afirmam que Merckle se expôs demais financeiramente nos últimos anos, com aquisições altamente alavancadas. O executivo aumentou sua dívida em 2007 quando sua cimenteira HeidelbergCement comprou a companhia britânica de materiais de construção Hanson por 8 bilhões de libras (US$ 11,9 bilhões).

De acordo com uma pessoa próxima ao assunto, o suicídio do bilionário não deverá ter impacto sobre os acordos de empréstimos fechados recentemente por sua família. A VEM informou separadamente em um comunicado que um acordo para pagamento de empréstimos aos credores foi finalizado antes da morte de Merckle e disse que o suicídio do executivo não deverá ter nenhum impacto sobre o processo de reestruturação da companhia.

O corpo de Merckle foi encontrado na noite de segunda-feira, perto de uma linha de trem ao sul da cidade de Ulm, na Alemanha. A polícia local descreveu o caso como um "acidente ferroviário" e afirmou que não havia sinais de participação de uma outra pessoa no ocorrido. A família do executivo afirmou hoje que ele cometeu suicídio. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG