O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) pode precisar de uma nova capitalização dentro de três ou quatro anos, apesar do acordo de aumento de capital que deve ser ratificado ainda nesta segunda-feira no México, durante a 51ª Reunião Anual de Governadores da instituição de fomento. A avaliação foi feita hoje pelo ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, em conversa com jornalistas no escritório da delegação brasileira em Cancún, no México.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237562656192&_c_=MiGComponente_C

"Esse acordo permite manter um nível de aprovação e desembolso de empréstimos da ordem de US$ 12 bilhões, talvez até um pouquinho mais do que isso. Mas é bom lembrar que no ano passado o banco aprovou quase US$ 16 bilhões e que há uma demanda crescente", disse o ministro.

"Para os próximos três anos, acho que está resolvido. Agora, se a demanda continuar crescendo, os países continuarem crescendo, as economias se desenvolvendo, eu não descarto que daqui a uns quatro anos se volte a falar em um novo aumento de capital", declarou. O último aumento de capital do BID ocorreu em 1994.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.