Tamanho do texto

BRASÍLIA - O presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), disse nesta segunda-feira que uma possível flexibilização das Leis trabalhistas não garantiriam a manutenção de empregos no País. De acordo com o parlamentar, a experiência já foi usada em outros países e os postos de trabalho não foram preservados.

"A nossa opinião é que os sindicatos são autônomos para negociar. Agora evidentemente não acreditamos que a flexibilização de qualquer direito seja elemento que garanta emprego nesse momento", disse Ricardo Berzoini. 

Após reunião da Executiva nacional da sigla, Berzoini defendeu uma queda continuada da taxa básica de juros (Selic) como uma das alternativas para reduzir os efeitos da crise, bem como a redução do spread bancário. "O Banco Central tem um papel importante nesse momento", disse ele, defendendo a queda de juros, que já teve um decréscimo de um ponto percentual na última reunião do Copom.

Código de Ética

A pauta da reunião da Executiva também previa a reestruturação do código de ética do PT, o que não ocorreu. Questionado se a possibilidade de que os candidatos eleitos teriam que abrir mão de seus sigilos fosse o empecilho para as alterações, Berzoini disse que não.

"O sigilo é direito legal e Constitucional, mas qualquer instituição pode fixar como regra que a pessoa abra mão dele. Não é exagero. E na minha opinião vai ter ampla maioria", disse ele, acrescentando que em abril o partido deve fazer esta e outros alterações em seu código de ética.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.