Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Berners-Lee: trivial e populista

Berners-Lee: trivial e populista Por Alexandre Matias São Paulo, 28 (AE) - Não era impressão: Tim Berners-Lee não tem um pingo de carisma. Não que precisasse ter - é da natureza desse tipo de profissional (ele lida com computação) um certo recato e alguma timidez.

Agência Estado |

Mas, desde que foi apresentado ao público na abertura da Campus Party na segunda, o principal palestrante da edição 2009 do evento não dava impressão de que surpreenderia em sua palestra, que seria realizada no dia seguinte.

Berners-Lee mudou completamente a internet como conhecemos ao criar uma interface mais amigável, intuitiva e visual do que a rede tinha até 1990. Antes de Tim, a internet era um meio escrito, sem imagens ou diagramação. Sua proposta reorganizava a rede com um novo protocolo (o http), criando o conceito de domínio e tornando o hyperlink executável com cliques do mouse. Batizou-a World Wide Web e ela foi responsável pelo primeiro grande salto de popularidade da rede, nos anos 90 - deu tão certo que até hoje as pessoas confundem internet com web.

E por mais que vendessem que Berners-Lee falaria sobre a chamada "web 3.0" - em que computadores compreendem palavras -, sua participação resumiu-se à apresentação de uma série de conceitos que já existem e estão aos poucos se estabelecendo na internet atual - e que Berners-Lee vendia como "novidade" e "futuro".

Entre as perspectivas que o pai da web cogitava para o futuro da rede estão soluções não só cogitadas mas já em execução, como misturar o conteúdo de diferentes procedências num mesmo site e uma plataforma que permite que diferentes sites conversem entre si (semelhante à iniciativa Open ID, que inclui nomes como a Microsoft e o Google). Depois de falar muito em programação com exemplos técnicos, sem apelo até para o público especializado, terminou seu papo em tom populista, disparando chavões como "o futuro está em suas mãos" ou "vocês estão no controle".

Se ele disse algo de importante, não está relacionado diretamente à web. No dia da posse do presidente dos EUA, Barack Obama, Tim apelou para o cumprimento da promessa de campanha: promover o uso de soft-wares de código aberto no governo e na internet como um todo.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG