Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Dividendo do grupo Inditex, dono das lojas Zara, aumenta 25%

Arteixo (Espanha), 15 jul (EFE).- O grupo têxtil espanhol Inditex, proprietário de marcas como a Zara, informou hoje que distribuirá a partir de 1º de agosto 652 milhões de euros (US$ 1,036 bilhão) em conceito de dividendo, ou 1,05 euro bruto (US$ 1,6) por título.

EFE |

O tom de Bernanke foi mais sombrio que o do final de junho, quando ele disse que os riscos ao crescimento tinham diminuído um pouco.

Em depoimento semestral ao Congresso, Bernanke reconheceu que os mercados ficaram mais ansiosos nas últimas semanas, particularmente sobre as condições das agências hipotecárias Fannie Mae e Freddie Mac.

Ele destacou que a perspectiva para o crescimento econômico e para a inflação é incerta. Investidores avaliaram esse comentário como um sinal de que o Fed pode manter o juro pelo menos até agosto e, talvez, até o final do ano.

'A possibilidade de preços de energia mais altos, piores condições de crédito e uma contração ainda maior nos mercados de moradias representam um risco significativo para as perspectivas de crescimento. Ao mesmo tempo, os riscos de alta da inflação se intensificaram recentemente.'

Bernanke disse que a queda no mercado imobiliário é 'a questão mais crítica e central que enfrentamos'.

Os comentários chegam apenas dois dias depois que o Tesouro, em ação coordenada com o Fed, anunciou medidas para auxiliar a Fannie Mae e a Freddie Mac, que têm estado sob pressão desde a deterioração do mercado de moradias.

Em comentários preparados para o Congresso, o secretário do Tesouro, Henry Paulson, disse que as duas agências 'representam um potencial risco sistêmico' e instou o Congresso a aprovar uma lei que cria mais regulação.

O tom de Bernanke deu pouco conforto aos investidores.

Em seu relatório semestral de política monetária, entregue ao Congresso, o Fed elevou a projeção de crescimento em 2008 para a faixa entre 1,0% e 1,6%, ante estimativa anterior de 0,3% a 1,2% feita em abril, graças à expectativa de mais gastos do consumidor.

Diante dos custos mais altos de energia, o Fed elevou a previsão de inflação para a faixa entre 3,8% e 4,2%, frente ao prognóstico anterior entre 3,1% e 3,4%.

O presidente norte-americano, George W. Bush, afirmou que a economia ainda está crescendo, embora tenha admitido a 'óbvia incerteza financeira'.

Pressão

O fraco crescimento com inflação em alta tem colocado Bernanke sob pressão. A prescrição usual de política monetária de aumentar o juro para conter o avanço dos preços pode minar o já fraco crescimento da atividade.

A pressão para que o Fed considere um aumento do juro tem crescido após o corte acumulado de 3,25 pontos percentuais, para 2,0%.

Bernanke disse que os esforços do Fed até o momento, incluindo o corte do juro e uma série de medidas para facilitar o crédito, tiveram efeito positivo, mas que a economia ainda enfrenta 'numerosas dificuldades'.

Leia tudo sobre: fed

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG