SÃO PAULO - Os Brazilian Depositary Receipts (BDRs, instrumento que permite a uma empresa estrangeira ter ações negociadas no Brasil) da trading de commodities agrícolas Agrenco voltaram a ser negociados na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Por volta das 10h20, o ativo apresentava alta de 20%, a R$ 1,68.

A negociação com os ativos da empresa estava suspensa desde a quinta-feira passada, dia 10 de julho, por determinação da própria Bovespa, que aguardava esclarecimentos sobre as propostas de aporte de capital que a companhia já recebeu de três interessados.

Vale lembrar que as ações da companhia, quem tem sede em Bermudas, quase viraram pó depois que os controladores foram presos em operação da Polícia Federal (PF) realizada em junho.

O questionamento da bolsa era sobre a possibilidade de ocorrência ou não de oferta pública de aquisição de ações aos acionistas no caso do negócio com a Louis Dreyfus Commodities Group (LDC) ser fechado.

Em resposta, a companhia esclarece que o Memorando de Entendimento firmado com a LDC em 24 de junho não prevê a realização de oferta de aquisição aos acionistas.

No entanto, caso se opte pela realização da oferta, o preço pago aos acionistas será o mesmo estipulado para o aumento de capital, ou seja, de US$ 0,84 por BDR. Caso a LDC opte por não realizar tal oferta, a Agrenco afirma que será convocada assembléia para alteração no estatuto da companhia, permitindo, assim, a realização do operação nos termos previamente propostos.

A proposta da LDC prevê um aumento do capital social da Agrenco Holding B.V., no valor de US$ 33,523 milhões e subseqüente aumento de capital da companhia, mediante a emissão de novas ações, no valor de US$ 65 milhões, além de outras iniciativas de curto prazo.

Enquanto negociava com a LDC, em 9 de julho, a Agrenco comunicou que recebeu outra oferta de compra, agora da Noble Brasil, grupo asiático que já atua no país no setor de álcool e açúcar. A proposta da Noble era praticamente a mesma da LDC. A diferença era o valor da multa que a Agrenco pagaria à LDC caso fechasse negócio. Na época, a Agrenco informou que, apesar da nova oferta, continuaria negociado com a LDC.

Ontem, a Agrenco indicou que segue as negociações com o grupo francês, mas não mais com exclusividade, pois também analisa a oferta da Noble e de um terceiro interessado, apresentado apenas como investidor estratégico .

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.