O Banco do Japão (BoJ, banco central japonês) injetou 1,5 trilhão de ienes (US$ 14,373 bilhões) nos mercados financeiros do país, na tentativa de acalmar os investidores um dia depois da grande reviravolta em Wall Street. O banco central da Austrália também injetou dinheiro extra nos mercados financeiros domésticos: em suas operações diárias de mercado aberto, o Reserve Bank of Australia (RBA) colocou no sistema 1,29 bilhão de dólares australianos (US$ 1,018 bilhão), depois de já ter liberado 1,3 bilhão de dólares australianos ontem.

Antes da abertura dos mercados nesta terça-feira, primeiro dia útil após o feriado prolongado no Japão, o BoJ divulgou um comunicado para avisar que instituição fornecerá amplos recursos para assegurar a estabilidade dos mercados e que vai monitorar de perto a crise. "A intenção do Banco do Japão é assegurar o provimento estável de recursos e a estabilidade dos mercados financeiros, continuando a implementar operações apropriadas de mercado financeiro e outras medidas, e ao mesmo tempo monitorando a recente situação em torno do setor financeiro dos EUA e seu impacto", disse, num comunicado, o presidente do BoJ, Masaaki Shirakawa.

O conselho do banco iniciou nesta terça-feira uma reunião de dois dias sobre a política monetária. A instituição provavelmente vai manter a taxa de juros em 0,5%, em meio à desaceleração econômica do país e ao crescimento da inflação. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.