Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

BCE: nível atual do juro continua apropriado

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, afirmou que a atual taxa básica de juros da instituição continua apropriada e que a recuperação econômica da zona do euro (grupo dos 16 países que adotam a moeda única) provavelmente não será uniforme, em meio a um ambiente de "alta incerteza"

AE |

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, afirmou que a atual taxa básica de juros da instituição continua apropriada e que a recuperação econômica da zona do euro (grupo dos 16 países que adotam a moeda única) provavelmente não será uniforme, em meio a um ambiente de "alta incerteza". As declarações foram feitas em coletiva de imprensa concedida após o BCE decidir manter a taxa de juros de referência inalterada em 1% ao ano. Segundo Trichet, o BCE continua firmemente comprometido com a estabilidade dos preços no médio e longo prazos. "A posição de política monetária e a provisão de liquidez geral serão ajustadas conforme apropriado", disse a autoridade.

Trichet elogiou ainda a publicação dos resultados individuais dos testes de estresse que estão sendo realizados com bancos europeus e disse que eles devem ser acompanhados por ações apropriadas onde for necessário. O órgão supervisor bancário europeu revelou ontem o nome dos 91 bancos que estão sendo avaliados para verificar sua resistência a maiores riscos nos mercados e no crédito e divulgou alguns dos critérios incluídos nos testes. Para Trichet, os resultados dessas avaliações vão aumentar a confiança no setor bancário europeu.

"Balanços financeiros sólidos, gerenciamento de risco eficiente e transparente, além de modelos de negócio robustos são cruciais para reforçar a resiliência dos bancos a choques e para garantir acesso adequado a financiamentos, estabelecendo as bases para o crescimento sustentável, a criação de empregos e a estabilidade financeira", disse Trichet. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: ECONOMICO-ECONOMIA

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG