Por Andrew Hay e Pete Harrison MADRI/ESTRASBURGO (Reuters) - O Banco Central Europeu precisa parecer disposto a elevar os juros ainda mais para manter os preços sob controle, mesmo se houver o risco de retração econômica, disse o presidente do banco central espanhol nesta quarta-feira.

O comentário de Miguel Angel Fernández Ordóñez foi a avaliação mais pessismista do BCE até agora sobre a economia, mas a preocupação com os recordes da inflação ficaram claros também na fala de outros membros do banco, como o presidente Jean-Claude Trichet.

Trichet disse ao Parlamento Europeu que a inflação recorde de 4 por cento na zona do euro é preocupante, e que há temores legítimos de que ela possa não diminuir como espera o BCE mesmo com a primeira alta em mais de um ano do juro na região na semana passada.

Ordóñez disse que o BCE precisa manter viva a perspectiva de novos aumentos do juro, algo descartado por alguns economistas após Trichet dizer que o BCE não está com viés para novas alterações do juro.

'Precisamos trazer a inflação para baixo... e enviar a mensagem de que estamos preparados para fazer o que for necessário, incluindo subir os juros em um determinado momento.

Isso é crucial', disse em seminário econômico na Espanha.

A linha antiinflacionária de Ordóñez se mantém mesmo com sua estimativa de que a economia da zona do euro pode se retrair --medo que não havia sido expressado diretamente pelo BCE antes.

'É evidente que estamos vendo na Europa uma queda muito significativa do crescimento', disse. 'Eu não me surpreenderia em ver um crescimento negativo.'

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.