Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

BCE lutará contra a inflação apesar do risco de recessão técnica

Frankfurt (Alemanha), 11 set (EFE).- O Banco Central Europeu (BCE) insistiu hoje que lutará contra a inflação apesar do risco de a economia dos países que compartilham o euro entrar em recessão.

EFE |

No boletim de setembro, publicado hoje, o BCE disse que "de acordo com seu mandato, o conselho de Governo enfatiza que manter a estabilidade de preços a médio prazo é seu principal objetivo".

O presidente do Eurogrupo, Jean-Claude Juncker, disse ontem que é possível uma recessão técnica (dois trimestres seguidos de contração) na zona do euro, mas descartou uma recessão profunda.

Além disso, o Conselho do BCE "está decidido em sua determinação de manter as expectativas de inflação a médio e longo prazo firmemente ancoradas em linha com a estabilidade de preços".

"Isto preservará o poder aquisitivo a médio prazo e apoiará o crescimento sustentado e o emprego", acrescentou o BCE no boletim.

O BCE deixou na semana passada inalteradas as taxas de juros na zona do euro em 4,25% e revisou para baixo suas previsões de crescimento para este ano e 2009, e em alta os de inflação.

A entidade prevê agora uma reativação econômica na zona do euro de entre 1,1% e 1,7% em 2008, contra 1,5% e 2,1% que tinha previsto em junho.

A Comissão Européia (CE) também rebaixou notavelmente suas previsões de crescimento para o zona do euro este ano para 1,3%, quatro décimos menos que em abril.

Em relação aos preços, o BCE considerou que o nível atual de inflação é preocupante e é resultado dos efeitos diretos e indiretos dos aumentos dos preços da energia e dos alimentos.

O BCE acrescenta que as taxas de inflação anual permanecem muito acima dos níveis consistentes com a estabilidade de preços a médio prazo.

Neste sentido, o emissor europeu disse que o forte ritmo de crescimento de expansão monetária traz riscos de alta para a estabilidade de preços, apesar da expansão dos agregados de crédito e monetários mostrar sinais de moderação. EFE aia/ma

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG