Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

BCE injeta US$ 35 bilhões no mercado interbancário a juros de 4,5%

FRANKFURT - O Banco Central Europeu (BCE) injetou nesta sexta-feira, no mercado interbancário, US$ 35 bilhões a uma taxa de juros marginal de 4,5% e com uma semana de vencimento diante de uma demanda de mais que o dobro.

Redação com agências |

 

Acordo Ortográfico A entidade informou hoje que 52 bancos participaram desta operação de refinanciamento extraordinária em dólares e solicitaram US$ 82,495 bilhões. Os bancos comerciais da zona do euro deverão devolver ao BCE estes US$ 35 bilhões no dia 3 de outubro.

O Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) anunciou uma ação coordenada de troca (swap) de dólar com o Banco Central Europeu (BCE), o Banco da Inglaterra (BOE, o banco central inglês) e Banco da Suíça visando ampliar a oferta de dólares para uma semana, a fim de diminuir a pressão por recursos no fim deste terceiro trimestre, que se encerra na próxima terça-feira (dia 30). O Fed disse que autorizou um aumento de US$ 10 bilhões em sua linha temporária de swap de dólares com o BCE, para US$ 120 bilhões, e um aumento de US$ 3 bilhões na mesma linha com o Banco da Suíça, para US$ 30 bilhões.

No total, a linha de swap de dólares com os bancos centrais estrangeiros subiu para US$ 277 bilhões, um aumento de US$ 13 bilhões.

Segundo o Fed, "os bancos centrais continuam a trabalhar juntos e estão preparados para tomar medidas adicionais, conforme necessário, para fazer frente às pressões por liquidez nos mercados de crédito", disse, em nota conjunta distribuída com o BCE, o BC inglês e o BC suíço. Os acordos de swap valem até 30 de janeiro do ano que vem.

Além das linhas de swap com o BCE e com o Banco da Suíça, o Fed mantém acordos com o Banco do Japão (BOJ, o banco central japonês), de US$ 60 bilhões; o Banco da Inglaterra (US$ 40 bilhões), o Banco da Reserva da Austrália (US$ 10 bilhões), o Banco do Canadá (US$ 10 bilhões), o Banco da Suécia (US$ 10 bilhões), o Banco da Dinamarca (US$ 5 bilhões) e o Banco da Noruega (US$ 5 bilhões).

(Com EFE e Valor Online)

Serviço 

 

Mais notícias

 

Para saber mais

 

Opinião

 

Leia mais sobre a atual crise financeira mundial

Leia tudo sobre: crise financeira

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG