O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quarta-feira que o Banco Central tomará o depósito compulsório de volta, caso os bancos beneficiados com a suspensão do pagamento não garantam liquidez ao mercado financeiro.

Acordo Ortográfico

A afirmação foi feita em Nova Delhi, onde participou da 3ª Reunião de Cúpula do Ibas ¿ grupo que reúne Índia, Brasil e África do Sul.

Sobre a medida do banco de injetar até R$ 100 bilhões no mercado, o presidente disse que o BC só vai liberar o dinheiro na medida em que houver a concessão do empréstimo [pelos bancos].

O presidente disse ainda que o governo não vai ajudar diretamente as empresas que enfrentarem dificuldades por causa da crise. O que poderá ser feito é um empréstimo bancário. Quem tomar dinheiro, será emprestado [diretamente com os bancos].

Mais cedo, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, disse que o governo brasileiro está atento para o caso de os exportadores precisarem de ajuda para enfrentar a crise.

Lula comentou também os prejuízos de empresas brasileiras que investiram em dólares. Segundo ele, todas as empresas que apostaram e perderam têm que arcar com as responsabilidades. Obviamente que o Brasil estará disposto a criar condições para que o sistema financeiro empreste dinheiro pela lógica de mercado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.