Tamanho do texto

O setor público registrou em maio superávit primário (economia para o pagamento de juros da dívida pública) de R$ 1,430 bilhão, de acordo com dados divulgados hoje pelo Banco Central (BC)

O setor público registrou em maio superávit primário (economia para o pagamento de juros da dívida pública) de R$ 1,430 bilhão, de acordo com dados divulgados hoje pelo Banco Central (BC). O resultado ficou abaixo do piso das previsões do mercado, que variavam de superávit de R$ 4,900 bilhões a R$ 8,400 bilhões em maio, com mediana em R$ 7,100 bilhões.

O governo central registrou déficit primário de R$ 1,431 bilhão, enquanto os governos regionais tiveram superávit de R$ 1,469 bilhão e o conjunto das empresas estatais teve saldo positivo de R$ 1,392 bilhão - sendo R$ 935 milhões das estatais federais. A diferença entre o resultado do governo central apurado pelo BC e o registrado pelo Tesouro - e anunciado na manhã de hoje, mais cedo - deve-se às metodologias de apuração.

Em maio do ano passado, de acordo com o BC, o setor público registrou superávit primário de R$ 1,119 bilhão, com o governo central apresentando déficit primário de R$ 291 milhões, os governos regionais, superávit de R$ 3,214 bilhões, e o conjunto das empresas estatais, déficit primário de R$ 1,804 bilhão. No acumulado de janeiro a maio de 2010, o setor público tem superávit de R$ 38,046 bilhões, o equivalente a 2,72% do Produto Interno Bruto (PIB). Em igual período de 2009, o superávit era de R$ 31,879 bilhões (2,60% do PIB).

No resultado acumulado em 2010, o governo central contribui com superávit de R$ 24,021 bilhões (1,72% do PIB), governos regionais com superávit de R$ 14,259 bilhões (1,02% do PIB) e empresas estatais com déficit primário de R$ 234 milhões (0,02% do PIB). No acumulado dos últimos 12 meses encerrados em maio, o superávit primário do setor público é de R$ 70,685 bilhões (2,13% do PIB). Em abril, o superávit em 12 meses estava em R$ 70,375 bilhões (2,15% do PIB).

Ainda no acumulado dos 12 meses encerrados em maio de 2010, o governo central tem superávit primário de R$ 44,379 bilhões (1,34% do PIB), os governos regionais têm saldo positivo de R$ 22,464 bilhões (0,68% do PIB) e as estatais, superávit de R$ 3,842 bilhões (0,12% do PIB).

Dívida líquida

A dívida líquida do setor público fechou maio em R$ 1,371 trilhão, o equivalente a 41,4% do Produto Interno Bruto (PIB), segundo os dados do BC. Em abril, o nível de endividamento correspondia a 41,8% do PIB ou R$ 1,370 trilhão. Segundo nota do BC, a desvalorização cambial e o crescimento da economia foram os principais responsáveis pela redução de 0,4 ponto porcentual da dívida líquida em maio ante o mês anterior. No acumulado dos cinco primeiros meses de 2010, de acordo com o BC, a dívida registra redução de 1,4 ponto porcentual, já que o indicador estava em 42,8% do PIB no fim de 2009.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.