O indicador que mede a transferência de dólares no Brasil indicou que a saída de recursos continuou na segunda semana do mês. Dados divulgados hoje pelo Banco Central (BC) mostram que o período entre os dias 8 e 12 de março teve a transferência líquida de US$ 337 milhões para outros países.

Com esse resultado, o fluxo cambial acumulado nas duas primeiras semanas de março aponta saída de US$ 1,542 bilhão.

A transferência de dólares para fora do Brasil é liderada pelo movimento na conta financeira, na qual são registradas as transações para compra e venda de ações, títulos de renda fixa, investimentos produtivos e remessas de lucros, entre outras. Na segunda semana do mês, essa conta teve déficit de US$ 334 milhões. O valor foi gerado pelas saídas de US$ 6,532 bilhões e os ingressos de US$ 6,197 bilhões no período. Com este resultado semanal, o fluxo financeiro do mês amarga a saída de US$ 1,242 bilhão, gerado por remessas de US$ 11,426 bilhões e entradas de US$ 10,184 bilhões.

Na conta comercial, o resultado também foi negativo. Na segunda semana do mês, o déficit dessa conta acumulou a saída de apenas US$ 3 milhões, geradas pelas importações de US$ 3,089 bilhões, superando as exportações de US$ 3,087 bilhões. No mês, a conta comercial tem resultado líquido negativo de US$ 300 milhões, resultado de importações de US$ 5,870 bilhões e exportações de US$ 5,570 bilhões. No acumulado do ano até 12 de março, o fluxo cambial registra a saída líquida de US$ 867 milhões do Brasil.

Setores

Os setores de serviços, indústria de transformação e construção civil registraram recorde na abertura de novas vagas de trabalho formal para os meses de fevereiro. Segundo os dados do Caged, o setor de serviços registrou a criação de 85.607 vagas líquidas em fevereiro deste ano. Já a indústria de transformação teve saldo líquido de 63.024 postos de trabalho.

De acordo com o Ministério do Trabalho, 7 dos 12 ramos da indústria pesquisados tiveram desempenho recorde no mês passado: metalurgia, calçados, têxtil, química, material de transporte, madeira e mobiliário e minerais não-metálicos.

A construção civil, por sua vez, teve um saldo líquido de 34.735 vagas em fevereiro. Para o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, o resultado forte da construção civil refletiu o desempenho do programa habitacional "Minha Casa, Minha Vida", do governo federal. Ele afirmou que, como os processos de licenças ambientais demoram, os efeitos do programa habitacional serão sentidos de verdade neste ano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.