Durante encontro que teve ontem com deputados da oposição, o presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, disse que os títulos ruins não serão aceitos como garantia nas operações de redesconto com os bancos e nas operações de empréstimos em moeda estrangeira, previstas na Medida Provisória 442, editada esta semana pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Carteira ruim é caso de intervenção, teria dito Meirelles, segundo relato do líder do PSDB na Câmara dos Deputados, José Aníbal (SP).

A MP diz que caberá ao Conselho Monetário Nacional (CMN) "estabelecer critérios e condições especiais de avaliação e de aceitação de ativos" recebidos pelo BC em operações de redesconto em moeda nacional ou em garantia de operações de empréstimo em moeda estrangeira. Esse dispositivo indicou para alguns especialistas que o CMN poderia autorizar o BC a aceitar títulos considerados "podres".

O presidente do BC fez uma avaliação da crise e das medidas que estão sendo tomadas pelo governo para amenizar os seus efeitos no Brasil. Meirelles disse que o Brasil enfrenta uma crise de liquidez, mas não há problemas de solvência bancária, de acordo com relato do líder do PPS, deputado Fernando Coruja (SC). As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.