O Banco do Japão (BOJ, banco central do país) decidiu hoje manter sua taxa de juros, com unanimidade de votos, em 0,1% ao ano e não avançou na ideia de coibir a deflação, estimulado pelos mercados financeiros que têm se mantido relativamente calmos e por sinais positivos recentes na economia. A taxa se encontra nesse nível desde dezembro de 2008.

O Banco do Japão (BOJ, banco central do país) decidiu hoje manter sua taxa de juros, com unanimidade de votos, em 0,1% ao ano e não avançou na ideia de coibir a deflação, estimulado pelos mercados financeiros que têm se mantido relativamente calmos e por sinais positivos recentes na economia. A taxa se encontra nesse nível desde dezembro de 2008. "No comando da política monetária, o banco central japonês pretende colaborar para que haja a manutenção de um ambiente financeiro extremamente acomodatício", disse o BOJ em um comunicado.<p><p>O BOJ também não alterou sua avaliação em relação à economia, dizendo que a economia doméstica tem "ganhado estímulo". Mas destacou seu compromisso em evitar queda prolongada dos preços a partir da deterioração das condições econômicas. Entretanto, o banco central disse que "como uma melhora no setor corporativo originada das exportações deve refletir-se sobre os cidadãos, a taxa de crescimento da economia deve gradualmente subir".<p><p>Paralelamente, em entrevista, o presidente do Banco do Japão, Masaaki Shirakawa, indicou otimismo em relação à economia de modo geral, dizendo que o risco de o Japão apresentar uma recessão com mergulho duplo diminuiu. <p><p>A reunião de hoje do banco central japonês era muito esperada, depois que um relatório da instituição confirmou, na semana passada, o aumento da confiança das corporações. O relatório "tankan", que demonstra o sentimento dos empresários a respeito da economia global, apresentou no primeiro trimestre elevação da confiança do empresariado pelo quarto trimestre consecutivo. As informações são da Dow Jones.
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.