SÃO PAULO - O Banco Central (BC) do Brasil anunciou nesta quarta-feira que firmou acordo com o Federal Reserve para uma linha de swap cambial de dólares por reais no montante de US$ 30 bilhões, que estará disponível até 30 e abril de 2009. Com esses recursos, eleva-se o potencial de ação do BC brasileiro por meio de leilões de swap no mercado local sem que ele fique exposto a risco cambial.

Segundo o comunicado da autoridade monetária, essa linha não "implica condicionalidades de política econômica e será utilizada para incrementar os fundos disponíveis para as operações de provisão de liquidez em dólares pelo BC".

Na semana passada, o Banco Central havia informado ao mercado que poderia realizar leilões de swap até o montante de US$ 50 bilhões. Sem a linha do Fed, se o BC chegasse nesse limite o governo poderia voltar a ficar devedor líquido em dólares, ao se considerar reservas, posição no mercado futuro e dívida externa.

Ainda segundo o BC brasileiro, acordos semelhantes foram firmados com os bancos centrais de Cingapura, Coréia do Sul e México, em montantes e prazos iguais. Esse tipo de acordo já havia sido feito com as autoridades monetárias da Austrália, Canadá, Dinamarca, Suécia, Nova Zelândia, Suíça Noruega, com o Banco Central Europeu e com o Banco da Inglaterra.

"A participação do BC nesse acordo contribuirá para preservar o Sistema Financeiro Nacional das restrições de liquidez no mercado financeiro internacional", diz a autoridade monetária brasileira em nota.

O comunicado diz ainda que Banco Central tomará as medidas regulamentares e operacionais necessárias para a implementação desta iniciativa, observando-se os limites e condições a serem estabelecidos pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

A autorização para que o Banco Central faça esse tipo de swap está prevista na Medida Provisória 443, que está em análise no Congresso Nacional.

Leia também

Para saber mais

Serviço 

Opinião

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.