Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

BC firma acordo com Fed para swap cambial de até US$ 30 bi

SÃO PAULO - O Banco Central (BC) do Brasil anunciou nesta quarta-feira que firmou acordo com o Federal Reserve para uma linha de swap cambial de dólares por reais no montante de US$ 30 bilhões, que estará disponível até 30 e abril de 2009. Com esses recursos, eleva-se o potencial de ação do BC brasileiro por meio de leilões de swap no mercado local sem que ele fique exposto a risco cambial.

Valor Online |

 

Segundo o comunicado da autoridade monetária, essa linha não "implica condicionalidades de política econômica e será utilizada para incrementar os fundos disponíveis para as operações de provisão de liquidez em dólares pelo BC".

Na semana passada, o Banco Central havia informado ao mercado que poderia realizar leilões de swap até o montante de US$ 50 bilhões. Sem a linha do Fed, se o BC chegasse nesse limite o governo poderia voltar a ficar devedor líquido em dólares, ao se considerar reservas, posição no mercado futuro e dívida externa.

Ainda segundo o BC brasileiro, acordos semelhantes foram firmados com os bancos centrais de Cingapura, Coréia do Sul e México, em montantes e prazos iguais. Esse tipo de acordo já havia sido feito com as autoridades monetárias da Austrália, Canadá, Dinamarca, Suécia, Nova Zelândia, Suíça Noruega, com o Banco Central Europeu e com o Banco da Inglaterra.

"A participação do BC nesse acordo contribuirá para preservar o Sistema Financeiro Nacional das restrições de liquidez no mercado financeiro internacional", diz a autoridade monetária brasileira em nota.

O comunicado diz ainda que Banco Central tomará as medidas regulamentares e operacionais necessárias para a implementação desta iniciativa, observando-se os limites e condições a serem estabelecidos pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

A autorização para que o Banco Central faça esse tipo de swap está prevista na Medida Provisória 443, que está em análise no Congresso Nacional.

Leia também

 

Para saber mais

 

Serviço 

 

Opinião

Leia tudo sobre: banco central

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG