SÃO PAULO - Mais uma vez, o presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, defendeu a previsibilidade da economia e afirmou estar comprometido com o regime de metas de inflação. Ele questionou o debate que"surpreendemente"ainda permanece no Brasil sobre se é positivo assumir um pouco mais de risco inflacionário.

SÃO PAULO - Mais uma vez, o presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, defendeu a previsibilidade da economia e afirmou estar comprometido com o regime de metas de inflação. Ele questionou o debate que"surpreendemente"ainda permanece no Brasil sobre se é positivo assumir um pouco mais de risco inflacionário. "Na minha opinião, isso tem, sim, problema, pois um dos fatores de sucesso do Brasil é a previsibilidade", enfatizou. Segundo Meirelles, quando a inflação é previsível gera uma queda na taxa de juro real e as empresas investem mais. Para ele, a política monetária deve agir na causa dos problemas, ou seja, a taxa de juro reflete o baixo risco e a inflação na meta. "Existe a tentativa de evitar o custo de se controlar a inflação. Custos existem, o bom é saber a relação custo/benefício e, nos últimos anos, essa relação foi muito positiva", sustentou. Meirelles falou ainda sobre o erro que os agentes econômicos cometem quando consideram"quanto mais demanda melhor"mesmo que exista falta na capacidade de oferta. Para o dirigente do BC, a inflação que surge no período em que as empresas estão planejando seus investimentos para atender à demanda é arriscada. Na avaliação de Meirelles, o que o BC tem feito é manter o controle desta situação."É importante ter um piloto, mas não se pode falar que o piloto só pode acelerar e não brecar", disse, completando que a economia tem de acelerar o mais rápido possível, mas sem inflação. (Vanessa Dezem | Valor)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.