Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

BC dos EUA estuda novas garantias para hipotecas

O presidente do Federal Reserve (Fed, banco central americano), Ben Bernanke, disse que as novas regras para hipotecas que estão sendo avaliadas pela instituição devem proteger os consumidores dos abusos do mercado e ampliar a competitividade. O objetivo das propostas de mudanças que vamos discutir hoje é proteger os consumidores de práticas injustas ou enganosas no mercado de hipotecas, além de manter crédito disponível para tomadores qualificados e apoiar a propriedade sustentável de imóveis, disse o presidente do Fed, em comunicado.

Agência Estado |

Em meio a uma crise imobiliária que continua prejudicando a economia dos EUA e forçando consumidores a devolverem suas casas, os membros do Fed estudam reformas regulatórias para proteger os consumidores. As mudanças nas regras se aplicarão a todos os financiadores, não apenas aos bancos supervisionados pelo Fed. "Além de oferecer proteção mais ampla aos consumidores, regras uniformizadas nivelarão o campo de atuação e aumentarão a competitividade no mercado de hipotecas, beneficiando os tomadores de empréstimos", afirmou Bernanke.

"Trabalharemos de modo cooperativo com nossos companheiros reguladores, tanto os estaduais quando os federais, para garantir que as regras sejam reforçadas e aplicadas", prosseguiu o presidente do Fed.

O Fed estuda criar uma nova categoria, de hipotecas "altamente precificadas". A nova categoria cobriria a maior parte dos empréstimos no mercado subprime (de alto risco), enquanto excluiria, de um modo geral, os empréstimos do mercado prime. As mudanças propostas para as "hipotecas altamente precificadas" impediriam um emprestador de fornecer recursos sem observar a capacidade do tomador de pagar o empréstimo, entre outras coisas.

Pelas novas regras, penalidades para pré-pagamentos seriam banidas se o pagamento puder ser alterado nos primeiros quatro anos. O Fed também publicaria um novo índice, que seria usado para determinar que empréstimos se qualificam como "altamente precificados". Além disso, os anúncios publicitários relativos às hipotecas teriam de incluir novas informações sobre taxas e pagamentos mensais, por exemplo. Publicidade enganosa, como as que prometem taxas fixas quando na verdade elas são flutuantes, será banida. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG