Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

BC dos EUA estabelece linha de swap com Brasil, México, Coréia do Sul e Cingapura

O Federal Reserve, o banco central americano (Fed), concedeu nesta quarta-feira uma linha de swap - troca de dólares americanos por reais, no montante de 30 bilhões de dólares ao Brasil, com validade até 30 de abril de 2009. O anúncio também inclui, com o mesmo montante e prazos iguais, a Autoridade de Cingapura, o Banco da Coréia e o Banco do México.

AFP |

Segundo nota do BC brasileiro, a linha de troca de dólares americanos por reais "não implica condições de política econômica e será utilizada para incrementar recursos disponíveis para as operações de provisão de liquidez em dólares por parte do BC".

O Fed indicou que a disponibilização da linha de crédito "é uma resposta às grandes preocupações com a crise financeira global, que se expandiu para as economias emergentes".

"Estas linhas de crédito, da mesma forma que aquelas estabelecidas com outros bancos centrais, têm como objetivo aumentar as condições de liquidez nos mercados financeiros mundiais e mitigar a ampliação das dificuldades para comprar em dólar americano, financiando economias fundamentalmente saudáveis e bem administradas".

De acordo com o BC brasileiro, mediante esta linha de swap, o Brasil poderá adquirir um volume determinado de dólares a pagar em reais, com o compromisso de recomprar esses reais (pagando en dólares) na data estipulada e com a taxa de câmbio acertada entre os bancos centrais dos dois países.

O Fed explica ainda que, dessa forma, os bancos centrais de economias emergentes, com políticas consideradas bem administradas e de importância sistêmica, juntam-se ao Banco da Reserva da Austrália, Banco do Canadá, Banco Central Europeu, Banco Nacional da Dinamarca, Banco da Inglaterra, Banco da Noruega, Banco da Suécia, Banco Nacional Suíço e ao próprio Federal Reserve, na rede global de waps recíprocos de moedas, constituída com vistas a prover adequada liquidez aos mercados.

Ontem, terça-feira, o Fed já havia anunciado medida semelhante em relação ao Banco Central da Nova Zelândia.

O acordo com o Fed, esclareceu a nota do BC brasileiro, faz "parte da estratégia de atuação no combate aos efeitos da turbulência financeira internacional sobre a economia brasileira".

Desde o agravamento da crise, o BC brasileiro injetou no mercado local mais de 22 bilhões de dólares, anunciando semana passada que disponibilizaria (num prazo não determinado) um montante de até 50 bilhões de dólares para proteger a economia nacional.

As reservas internacionais do BC brasileiro se elevam a 207 bilhões de dólares, pelo que, o acordo estabelecido com o Fed "contribuirá para preservar o Sistema Financeiro Nacional das restrições de liquidez" no mercado internacional, acrescenta a nota do banco.

bur/ahg/sd

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG