Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

BC começa a financiar empresas com dívida externa este mês

Por Isabel Versiani BRASÍLIA (Reuters) - O Banco Central está pronto para oferecer empréstimos de até 36 bilhões de dólares em recursos das reservas internacionais a empresas brasileiras com dívidas no exterior, afirmou nesta quinta-feira o presidente da instituição, Henrique Meirelles.

Reuters |

O valor equivale ao total da dívida externa privada que vence entre outubro do ano passado e dezembro deste ano --prazo que se enquadra nas regras estabelecidas pelo governo para essa nova modalidade de empréstimo, anunciada em dezembro passado.

Meirelles avaliou, no entanto, que a demanda pelos empréstimos, lançados para ajudar empresas com dificuldades em obter novos financiamentos externos em meio à crise econômica global, deve ficar em torno de 20 bilhões de dólares.

"A expectativa é que as empresas consigam rolar uma parte dos vencimentos", afirmou Meirelles a jornalistas.

"Mas, se por ventura as empresas tiverem dificuldades muito sérias, o Banco Central do Brasil está preparado para financiar até o valor total, que seria de 36 bilhões de dólares."

Meirelles informou que os primeiros repasses de recursos das reservas pelo BC aos bancos que intermediarão os empréstimos às empresas serão feitos nos dias 27 deste mês, 13 de março e 27 de março.

As datas dos próximos repasses --um por mês, em média-- serão divulgadas posteriormente.

"Com essas operações, estamos normalizando a oferta de crédito no país", acrescentou Meirelles.

Ele destacou que a dificuldades das empresas brasileiras em obter crédito em meio à crise se explica, em boa parte, pelo fato de que os bancos no exterior estão sendo pressionados pelos respectivos governos a priorizarem os financiamentos domésticos --ainda que tenham riscos mais elevados.

BANCOS BRASILEIROS

Circular do BC divulgada nesta quinta-feira determina que só poderão se beneficiar do novo empréstimo empresas autorizadas a operar no Brasil, independentemente da origem do capital.

Em um primeiro momento, também só poderão intermediar os financiamentos bancos autorizados a operar com câmbio no Brasil.

Meirelles adiantou, contudo, que em cerca de 30 dias o BC editará nova circular estendendo a bancos de outras grandes economias autorização para receber os recursos das reservas para repassá-lo às empresas brasileiras.

As empresas interessadas nos financiamentos deverão procurar os bancos de sua preferência munidas dos registros das dívidas no exterior. A instituição financeira então irá em busca de um empréstimo junto ao BC para fazer o repasse.

A taxa paga pelos bancos ao BC foi fixada em 1,5 por cento acima da Libor. Meirelles ponderou que ela poderá ser alterada dependendo das condições de mercado --o patamar atual corresponde à taxa praticada atualmente nos leilões de ACC.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG