Por Sumeet Desai e Fiona Shaikh LONDRES (Reuters) - O Banco da Inglaterra provavelmente flexibilizará ainda mais sua política monetária para fazer com que a economia britânica cresça de novo e a inflação volte à meta, afirmou nesta quarta-feira o presidente do banco central britânico, Mervyn King.

A taxa de juro não precisa cair para zero, disse King, sinalizando que o comitê de política monetária do Bando da Inglaterra por votar para começar uma política de "quantitative easing" --quando o banco central eleva a base monetária para dar suporte à economia-- já no próximo mês.

As declarações de King foram feitas durante entrevista coletiva sobre o relatório trimestral de inflação, que mostrou que o BC britânico estima uma inflação de apenas 0,5 por cento em dois anos, ficando abaixo da meta de 2 por cento durante todo este período.

"As projeções implicam que nova flexibilização da política monetária pode ser necessária. Isso tende a incluir ações com o objetivo de aumentar a oferta de dinheiro para estimular o gasto nominal", disse King durante a entrevista.

A economia britânica deve encolher substancialmente em 2009, talvez a uma taxa de até 4 por cento no início do ano. O crescimento só deve ser retomado ao final do exercício, mas os riscos são substanciais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.