Tamanho do texto

SÃO PAULO (Reuters) - O Banco Central anunciou nesta quinta-feira novas alterações nos recolhimentos compulsórios exigidos dos bancos, em mais uma tentativa de garantir liquidez ao mercado brasileiro. A partir de 1o de dezembro, o recolhimento compulsório adicional exigido dos bancos sobre depósitos à prazo, à vista e de poupança passará a ser em títulos públicos e não mais em dinheiro.

O BC espera, com isso, recompor os volumes de compulsórios recolhidos em títulos e, ao mesmo tempo, preservar a liquidez do mercado, já que os bancos não terão que fazer o recolhimento em espécie.

As alíquotas do compulsório adicional --5 por cento para depósitos à prazo e à vista e 10 por cento para poupança-- permanecem inalteradas. A remuneração deste compulsório adicional dependerá do título que cada banco entregar ao BC.

A medida tem o potencial de liberar aos bancos 40 bilhões de reais, que é o volume atual que estes compulsórios adicionais representam.

(Por Renato Andrade)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.