Tamanho do texto

SÃO PAULO - Apesar do cenário de desaceleração econômica previsto para 2009, o Banco do Brasil (BB) espera continuar emprestando mais. O vice-presidente de Crédito da instituição, Adézio Lima, disse nesta quinta-feira que a expectativa para o próximo ano é de um crescimento entre 20% e 25% na carteira de crédito, cujo saldo está hoje próximo aos R$ 215 bilhões, se incluídos os avais e fianças.

O executivo ainda revisou para cima as projeções para o desempenho deste ano. Até então, era esperada uma expansão entre 25% e 30% ante 2007 no crédito, expectativa que passou agora para algo entre 30% e 35%.

Em 30 de setembro último, o BB apresentava saldo de R$ 85,1 bilhões na carteira de empresas, o que representa um crescimento de 42,7% em 12 meses. Os empréstimos a pessoas físicas marcavam R$ 42,9 bilhões, alta de 45,4% no mesmo intervalo de comparação.

O principal destaque da carteira de pessoas físicas foi o financiamento de veículos, um dos focos de crescimento do BB. Ao final do setembro, o saldo desta carteira estava em R$ 5,6 bilhões, um avanço de 151,7% em relação a igual intervalo de 2007.

Também mostrou desempenho importante a carteira de agronegócios para pessoas físicas, que tinha saldo de R$ 38,1 bilhões ao final do terceiro trimestre, alta de 72,4%. O vice-presidente de Relações com Investidores do banco, Aldo Mendes, explicou que, apesar da queda nos preços das commodities, motivada pela crise, a valorização do dólar ante o real acabou compensando essa perda para os produtores rurais, que ganham a diferença no efeito do câmbio sobre os preços de exportação.

Leia mais sobre crédito