SÃO PAULO - O Banco do Brasil divulgou lucro líquido consolidado de R$ 4 bilhões no primeiro semestre do ano, com crescimento de 61% sobre o mesmo período de 2007. O retorno sobre o patrimônio anualizado do semestre foi de 34%, contra 24,3% anteriormente.

No segundo trimestre, o lucro líquido do BB foi de R$ 1,644 bilhão, com avanço de 53,9%. Excluindo itens extraordinários, o chamado lucro líquido recorrente foi de R$ 1,463 bilhão, mostrando queda de 1,2% sobre o segundo trimestre do ano passado. As receitas da intermediação financeira totalizaram R$ 10,956 bilhões, com evolução de 9,4% sobre o mesmo período de 2007.

Crédito

A carteira de crédito chegou em R$ 190,1 bilhões no final do segundo trimestre, com expansão de 30,9% sobre o mesmo período do ano passado. Sobre março deste ano, a carteira avançou 10%. Já a carteira de crédito doméstica cresceu 35,6% sobre igual período do ano passado e 11,2% de março para junho.

A carteira de crédito pessoa física somou R$ 40,5 bilhões, com aumento de 45,1% em relação ao mesmo período do ano anterior e 10,6% na comparação trimestral. Com este desempenho, a carteira de pessoas físicas passa a representar 21,3% da carteira total, contra uma participação de 19,2% no segundo trimestre do ano passado. Nesse segmento, o principal destaque foi o financiamento a veículos, que cresceu 173,5% em 12 meses e 32,9% no trimestre.

Outro destaque foi o CDC Salário, linha destinada aos correntistas que recebem seus proventos no BB, que cresceu 10,8% no trimestre e 50,9% em 12 meses. O crédito consignado continua sendo o carro-chefe dessa carteira, com saldo de R$ 14 bilhões e crescimento de 37,9% em 12 meses e de 9,8% no trimestre.

O crédito para pessoa jurídica atingiu R$ 78,3 bilhões, com expansão de 38,9% em relação ao segundo trimestre e de 13,2% em relação ao final do primeiro trimestre. Destaque para as linhas de capital de giro que alcançaram R$ 37,1 bilhões, crescimento de 79,4% sobre o mesmo intervalo de 2007 e de 24,4% sobre março último. O crédito ao agronegócio, apesar de registrar crescimento inferior aos outros segmentos, expandiu 9%. Destaque para o crédito agroindustrial, que cresceu 80,9% em 12 meses e 16,4% no trimestre.

Caixa

A Caixa Econômica Federal fechou o primeiro semestre de 2008 com lucro líquido de R$ 2,543 bilhões, com crescimento de 53,5% sobre o ganho obtido em igual período de 2007, quando somou R$ 1,657 bilhão. O retorno anualizado sobre o patrimônio líquido foi de 44,9%.

O resultado bruto da intermediação da financeira foi de R$ 6,023 bilhões no primeiro semestre, aumento de 6,3% em relação a 2007. Já a receita com prestação de serviços cresceu 8,3%, para R$ 3,630 bilhões.

O saldo de operações de crédito somava R$ 58,124 bilhões no fim de junho deste ano, com alta de 29,2% em 12 meses. O destaque da carteira foram os empréstimos para obras de saneamento e infra-estrutura para entes do governo, que cresceram 47,6%, e os financiamentos para empresas, que tiveram alta de 32,8%.

A Caixa terminou o semestre com R$ 264,393 bilhões em ativos totais, um crescimento de 9,8% antes junho do ano passado. O patrimônio líquido, por sua vez, aumentou 25,5%, para R$ 12,48 bilhões.

Com informações da Reuters e da Agência Estado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.