Tamanho do texto

Em mais um passo na estratégia de aumentar a participação na oferta de crédito no País, o Banco do Brasil (BB) anuncia hoje a ampliação do prazo de uma linha de capital de giro voltada para pequenas e microempresas (chamada de BB Giro Rápido). Em vez de 18 meses, os clientes terão 24 meses para pagar o financiamento.

As taxas de juros dessas operações, que variam de 2,08% a 2,34% ao mês, conforme o cliente, não foram alteradas.

"Queremos ter uma fatia maior nessa área, que já responde por 47% de nossa carteira de crédito de pessoa jurídica", disse o diretor de Pequenas e Microempresas do banco, Ary Joel de Abreu Lanzarin. No dia 30 de junho, quando foi divulgado o último balanço trimestral do BB, essa parcela correspondia a R$ 38,5 bilhões.

Segundo Lanzarin, as linhas para pequenas e microempresas cresceram 32,5% nos 12 meses encerrados em junho. Essas companhias foram as que mais sofreram com a crise de crédito que se seguiu à quebra do banco americano Lehman Brothers, em setembro de 2008.

O diretor do BB disse que a situação melhorou substancialmente após a criação do Fundo Garantidor de Operações (FGO), há cerca de 40 dias. A ideia do fundo é complementar em até 80% as garantias exigidas das empresas menores. O FGO conta com quase R$ 600 milhões. A maior parte dos recursos é do governo federal.

Lanzarin observou que a inadimplência nesse segmento está estabilizada. No fim de junho, a taxa era de 3,5% no banco. "Depois de atingir o pico no primeiro semestre, a tendência para a inadimplência agora é de queda", disse.

EXPANSÃO
Seguindo orientação do governo, os bancos públicos elevaram a oferta de crédito mesmo no auge da crise global, na contramão de seus pares privados. A participação das instituições públicas no total de empréstimos saiu de 34,2% em setembro do ano passado para 40,4% em agosto. No mesmo intervalo, a parcela dos privados encolheu de 44,4% para 40,7%.

No caso específico do Banco do Brasil, a fatia no total de crédito no País saiu de 16,4% em setembro de 2008 para 18,7% em junho - último dado disponível. Números atualizados só serão conhecidos quando o banco divulgar o balanço do terceiro trimestre, o que ocorrerá no dia 12 de novembro. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.