Viena, 17 set (EFE).- O barril da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) encadeou nesta terça-feira uma segunda forte baixa e foi negociado a US$ 86,69, US$ 4,57 a menos que na sessão anterior, informou hoje o secretariado do cartel em Viena.

Esta queda acentuou a forte tendência de baixa registrada pelo valor do barril (de 159 litros) usado como referência da Opep desde o começo de julho, com uma queda de 38,4% em relação a seu recorde histórico, de US$ 140,73, no dia 2 de julho.

Diante dos fortes sinais de um enfraquecimento da demanda petrolífera e de uma provisão abundante, também caíram outros tipos de petróleo de referência, como o Brent e o Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve) (WTI), nos mercados de futuro de Londres e Nova York, respectivamente.

Além disso, a cotação da commodity foi influenciada pela falência decretada pelo banco americano Lehman Brothers - que gerou uma crise financeira nos Estados Unidos - e à falta de liquidez nos mercados e o temor a uma queda da demanda.

"A terça-feira foi outra jornada sombria para os preços internacionais do petróleo. Enquanto o WTI perdeu 4,8%, o Brent caiu 5,3%", indicou hoje a assessoria especializada JBC Energy, com sede em Viena, em sua análise diária do mercado energético.

No entanto, as cotações mostravam esta manhã uma leve recuperação que os analistas atribuem à decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) de salvar a seguradora AIG da crise, com um empréstimo de US$ 85 bilhões, destacaram os analistas da JBC. EFE wr/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.