Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Barril do petróleo da Opep sobe para US$ 38,19

Viena, 10 dez (EFE).- O preço do barril da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) subiu na terça-feira para US$ 38,19, US$ 0,65 a mais da cotação do pregão anterior, informou hoje, em Viena, o Secretariado do cartel.

EFE |

Apesar desta recuperação, o valor do barril de referência da Opep - uma mistura de 13 tipos de petróleo, uma para cada país membro - continua abaixo de US$ 40 desde a quinta-feira passada.

O petróleo chegou a este nível em sua cotação, o mais baixo desde janeiro de 2005, após a queda sem precedentes registrada em julho passado, quando foi vendido a um valor recorde de US$ 140,73.

No mesmo período, também perderam mais de US$ 100 os preços do petróleo Brent e do Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve) (WTI), as referências para a Europa e os Estados Unidos, respectivamente, que agora estão em torno de US$ 42.

Segundo os analistas, por trás desta tendência de queda, está a crise financeira internacional, a retirada em massa dos especuladores que tinham apostado no "ouro negro" e um forte freio da demanda mundial de petróleo.

As notícias que favorecem o pessimismo no mercado petroleiro ganharam reforço ontem, quando o Departamento de Energia americano reduziu suas previsões de crescimento da demanda global de petróleo e anunciou dois anos consecutivos de retrocesso do consumo, pela primeira vez em 30 anos.

Segundo seus cálculos, a demanda mundial de petróleo retrocederá em 2008 em uma média de 50 mil barris diários em relação à de 2007, enquanto, em 2009, o consumo cairá em 450 mil barris diários frente ao ano atual.

Diante deste panorama, a Opep prepara uma conferência extraordinária para o próximo dia 17, em Oran (Argélia), disposta a definir um grande corte de sua oferta conjunta de petróleo e convencer seus principais concorrentes a limitar também suas exportações petrolíferas, a fim de conter a queda dos preços. EFE wr/an

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG