Londres, 16 jul (EFE) - O barril de petróleo Brent, de referência na Europa, caiu hoje US$ 2,56 em uma jornada na qual o Departamento de Energia americano anunciou que as reservas de petróleo dos Estados Unidos aumentaram em três milhões de barris, apesar de os analistas esperarem uma queda de 1,6 milhão.

O barril do petróleo Brent para entrega em setembro concluiu a jornada a US$ 136,19 na Bolsa Intercontinental de Futuros de Londres (ICE, em inglês), ou US$ 2,56 a menos que no fechamento da jornada anterior.

Em um dia volátil, o Brent cotou a preços entre US$ 132,5 e US$ 139,26.

O preço mínimo de hoje foi alcançado às 14h40 (em Brasília), após o Departamento de Energia dos EUA anunciar que as reservas de petróleo do país aumentaram em 3 milhões de barris na semana passada e se situaram em 296,9 milhões.

O número é 1% superior ao da semana anterior, quando havia armazenados 293,9 milhões de barris, mas 15,1% inferior ao de um ano atrás.

O preço do barril do Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve), de referência nos Estados Unidos, também descia mais de US$ 4 no meio do pregão da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex) e era negociado acima de US$ 134.

Após uma escalada sem precedentes nos últimos meses, o preço do barril Brent baixou mais de US$ 10 em cinco dias, já que na última sexta-feira era negociado ao preço recorde de US$ 147,50.

A baixa foi favorecida pelas declarações do presidente do Federal Reserve (Fed, banco central americano), Ben Bernanke, segundo as quais a economia americana, maior consumidor de energia do mundo, enfrenta "muitas dificuldades". EFE vmg/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.