Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Barril do Brent cai 0,67% e fecha a US$ 53,13

Londres, 28 nov (EFE).- O preço do petróleo Brent caiu 0,67% hoje na Bolsa Intercontinental de Futuros (ICE Futures) de Londres, um dia antes da reunião que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) realizará no Cairo.

EFE |

O barril de petróleo Brent para entrega em janeiro foi negociado hoje a US$ 53,49, US$ 0,36 a menos que no fechamento do dia anterior no ICE Futures.

O petróleo de referência na Europa caiu hoje em meio ao temor dos operadores de que uma maior queda da demanda mundial de petróleo e a impressão de que a Opep não adotará nenhum corte de produção na capital egípcia.

A conferência - consultiva, a princípio - deve servir para analisar os passos que o cartel deve que dar nos próximos meses frente à drástica redução do preço do petróleo.

O preço do Brent está em queda desde julho passado, quando marcou um recorde histórico ao superar os US$ 147, devido à redução da demanda nos Estados Unidos e em outros grandes países consumidores, por causa da crise econômica.

Alguns dos representantes que chegaram nas últimas horas ao Cairo descartaram, a princípio, que a Opep vá decidir nessa cidade um novo corte na produção, a fim de frear a redução dos preços.

Essa decisão, aparentemente, ficará nas mãos dos ministros da organização, que se reunirão em 17 de dezembro na cidade argelina de Oran.

O ministro de Petróleo iraniano, Gholam-Hossein Nozari, disse aos jornalistas que, no Cairo, muito possivelmente serão analisadas as condições atuais do mercado para tomar decisões na Argélia.

"Revisaremos o mercado e depois decidiremos", acrescentou Nozari, cujo país é o segundo maior exportador da Opep, que controla 40% da produção mundial de petróleo.

O ministro do Petróleo do Catar, Abdullah Bin Hamad al-Attiyah, disse que os altos funcionários vão ao Egito sem uma agenda estabelecida de antemão, e deu a entender que a corte da produção não será aprovado no Cairo, mas em Oran.

A Opep já havia decidido no mês passado, em Viena, reduzir sua produção em 1,5 milhão de barris diários a partir de 1º de novembro, com o objetivo de conter a queda do preço do petróleo. EFE pa/an

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG